Binho e Angelim reabrem o Parque Ambiental Chico Mendes

Projeto financiado pelo Governo do Acre, a segunda etapa das obras de reforma e modernização do Parque Ambiental Chico Mendes foram entregues ontem, 8, pelo governador Binho Marques e o prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim. O evento reuniu estudantes, lideranças comunitárias e ambientalistas. Estiveram presentes, entre outros, o superintendente do Ibama, Fernando Lima; a diretora-presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) Cleísa Cartaxo, além de gestores do Governo e da Prefeitura.
reinauracao_parque_chico2
Implantado na época em que Jorge Viana foi prefeito de Rio Branco, o PACM é administrado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) e está reaberto à visitação pública após passar por ampla reforma e adequação de espaços de cativeiros dos animais e dependências que agora proporcionam melhores condições para receber seus visitantes. O Parque Ambiental Chico Mendes é um dos principais pontos turísticos de Rio Branco. O nome presta homenagem ao líder seringueiro Chico Mendes, cuja luta inspirou o socioambientalismo e a Florestania.

Os novos espaços e melhoras fazem parte da 2ª etapa da reforma do Parque Ambiental Chico Mendes celebrado na assinatura do convênio nº. 002/2008 entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Rio Branco em 14 de junho de 2008, com o envolvimento na proposição e execução das ações pelas Secretarias de Estado de Floresta e das Se-cretarias Municipais de obras e de Meio Ambiente.

O projeto demandou recursos de R$ 732.817,00, sendo que R$ 666.198,00 foram aplicados diretamente pela Secretaria de Estado de Floresta, provenientes do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (BID), contrato 1399/OC – BR, firmado entre o Governo do Estado do Acre e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e R$ 66.061,00 são recursos pró-prios da Semeia.  Sobretudo, a reforma no Parque Ambiental Chico Mendes atende as su-gestões dos visitantes e a legislação ambiental vigente para os animais mantidos em cativeiro, proporcionando maior atrativo ao espaço. A conclusão de mais esta etapa de reforma significa a consolidação do Parque Ambiental Chico Mendes como um dos pontos turís-ticos de Rio Branco que reúne ao mesmo tempo atividades de lazer, recreação, educação e pesquisa científica.

A praça de alimentação também passa a oferecer agora comida regional. O PACM está situado na rodovia AC-40, na Vila Acre, a 8 quilômetros do Centro de Rio Branco. Por todo o parque, a Prefeitura instalou equipamentos adequados ao lazer e ao turismo, incluindo um mirante de onde se vê pelo alto as copas das árvores.  Próximo à estrada e estaciona-mento estão o Memorial Chico Mendes, o campo de futebol, o mirante, as quadras de areia e o início da ciclovia.

reinauracao_parque_chico3
Angelim destaca parcerias com Governo do Estado

O prefeito Raimundo Angelim destacou durante a solenidade que os investimentos em Rio Branco são fruto das parcerias entre a prefeitura e Governo. “Somos sempre gratos ao Governo do Estado. Sem essa parceria não poderíamos estar inaugurando hoje o Parque Chico Mendes”, pontuou Angelim. “Tudo que a prefeitura tem conseguido nos últimos anos: na educação – com os indicadores do Ideb – e com os programas de infra-estrutura urbana são resultado do forte engaja-mento político que mantemos com o governador Binho Marques”, destacou.

“Sei que muitos de vocês aguardaram com ansiedade a reabertura do Parque Chico Mendes, cujas obras se estenderam além do que havíamos planejado. Felizmente, hoje os trabalhos foram concluídos e vamos poder desfrutar desse belo espaço de lazer”, explicou Angelim.

Fundado há 13 anos, o Parque se transformou em uma das mais atraentes opções de visitação para as famílias acreanas. “É algo que nos orgulha mostrar aos visitantes, porque é uma parte genuína de nossa própria história. Aqui estão árvores imensas, os igapós, os animais de várias espécies que muitos de nós ou nossos pais e avós conhecem e lembram com saudade”, continuou o prefeito.

Com a reforma, o Parque ganhou mais atrações e um hospital veterinário para atender cada vez melhor os animais. A identificação das plantas, as trilhas de circulação, o ser-pentário e o lugar das onças, das antas e capivaras, e do jacaré-açú, tudo foi reforçado e me-lhorado, bem como o bosque e a praça de alimentação.

“Logo teremos de volta, portanto, nosso espaço de florestania, do qual devemos cuidar como um bem coletivo precioso”, finalizou Angelim.

Parque Chico Mendes – A área possui 67 hectares de natureza preservada, dos quais apenas 20 são ocupados pela estrutura de visitação. O restante permanece virgem, dando abrigo a pequenos animais que vivem soltos e não se espantam com a presença humana. As 35 pessoas que trabalham no local aprenderam a conviver com esses habi-tantes. Na verdade, ficam felizes com a presença deles, por ser uma atração a mais.

Inclusão de seis novas espécies, epifitário a céu aberto e Casa RANP
A adequação do PACM possibilitou a inclusão de seis novas espécies de animais, como a Pacarana e o Leãozinho da Taboca, um dos menores macacos do mundo. O espaço agora contempla a Casa RANP (sigla para répteis, anfíbios e peixes) onde está localizado o serpentário – outra novidade do parque. Ali podem ser vistas as cobras jibóia, sucuri, caninana e salamandra.

O PACM agora possui um epifitário a céu aberto, onde o visitante poderá contemplar e entender melhor acerca do cultivo de plantas epífitas, que vivem no alto de outras árvores, mas não são parasitas. Estão sendo mantidas bromélias, samambaias e orquídeas.

Saiba mais sobre espécies raras no Parque Chico Mendes:
Pacarana ou Paca de Rabo (Dinomys branickii)
Segundo Arthur Leite, titular da Semeia, em termos de zoológicos, apenas Rio Branco e Belém criam essa espécie, tida com rara na Amazônia.
Pacarana é o terceiro maior roedor do mundo, perdendo apenas para a capivara e o castor. Atinge 80 centímetros de comprimento e mais 20 centímetros de cauda. Sua pelagem é escura no dorso com manchas brancas que a ajudam a confundir os predadores, disfarçando seus contornos.

Leãozinho-da-taboca (Cebuella pygmaea)
É a segunda menor espécie de símio conhecida, medindo apenas cerca de 15 centímetros de comprimento e pesando 130 gramas, de pelagem acastanhada. Devido à sua pequena dimensão, e seus movimentos rápidos, é muito difícil de observar na natureza.

reinauracao_parque_chico5
Acre com sistema de parques

Conforme informou o governador Binho Marques, o Parque Chico Mendes integrará o sistema de parques que está sendo implantado no Acre com equipamentos como o Parque Centenário, em Brasiléia, um espaço de mais de 10 hectares construído como Igapó do Kayrala/Bacurim, onde o governo está investindo R$ 3,9 milhões. Esse parque tem escritório de administração, sombreiros, ponte de madeira, bancos de madeira, bicicletários, cerca de 20 mil metros quadrados de placas de grama, plantas arbustivas variadas, palmeiras, árvores sombreadoras, pórtico de entrada e playground.

O igapó, presente no Parque Cen-tenário, é um ecossistema que registra a presença de várias espécies da fauna e da flora amazônica. Além do Centenário, há parques em Sena Madureira e em Feijó. Ali, o Governo do Acre implanta o Parque do Buritizal de Feijó, que ocupa uma área de 6,7 hectares ao entorno da antiga pista de avião no Centro da cidade. Nesta fase inicial, o projeto está orçado em R$ 2.623.439,13, mas o custo total é de mais de R$ 22 milhões e se assemelha ao Parque da Materni-dade, que elevou a qualidade de vida dos moradores de Rio Branco.

“São investimentos do Governo para que a gente tenha não só o sentimento de carinho e proteção com a natureza, mas também com parte da nossa identidade”, disse o governador sobre os parques ambientais do Estado.

Binho: parque valoriza a identidade acreana
Governador Binho Marques lembrou que na época da implantação do Parque Chico Mendes, crianças e adolescentes não sabiam que pais e avós detinham tanta sabedoria acerca das espécies da fauna e da flora acreana – e o parque mudou essa visão, colocando-se como um dos instrumentos da trans-formação do Estado e da recu-peração da autoestima do povo. “Esse parque tem valor forte para nós, tem valor enorme para a reconstrução do Acre”, disse o governador.

“Este é um local bonito de se visitar e maravilhoso para o lazer. O prefeito Angelim tem cuidado com carinho desse ambiente. E é um investimento também no turismo, já que cada vez mais o Acre tem recebido turistas de outros lugares do Brasil e do mundo. Esse Parque é um cartão-postal não só da nossa cidade, mas também do nosso Estado”.

Durante a cerimônia de reabertura pública do parque, alunos especiais da Escola Clínio Brandão, que integra o projeto “Escola Amiga do Parque”, fizeram apresentações para os presentes, uma delas, a performance “Ciclo Sem Fim”. Binho recebeu das mãos de Raimundo Angelim o kit produzido pela Escola de Meio Ambiente do Horto Florestal. (Agência Acre) 

reinauracao_parque_chico6
 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation