Criança de oito anos sai para brincar e volta para casa embriagada

Uma criança de oito anos de idade saiu para brincar e voltou para casa visivelmente  embriagada. O fato aconteceu na manhã de ontem, 19, na ‘Invasão’ da Praia do Amapá, em Rio Branco, e gerou revolta entre os moradores.
Menino2007
A mãe, Ruth de Lima Andrade, 25, acionou a polícia assim que ficou sabendo que o filho havia sido obrigado por um homem da invasão a ingerir uma grande quantidade de cachaça misturada com cerveja.

Segundo ela, os filhos de 7 e 8 anos saíram para brincar com outras crianças da invasão. Horas depois, o mais novo chegou em casa avisando que o irmão estava bêbado.

Ao correr para checar à informação, Ruth encontrou o filho a caminho de casa. A criança não conseguia ficar em pé e tem que ser amparada por moradores. Uma equipe do 2º Batalhão da Polícia Militar conseguiu identificar a casa do suposto responsável pelo fornecimento da bebida, mas ele não estava.

No local também foram encontradas latas de cerveja e uma garrafa de cachaça vazias. O soldado Erlan e o sargento J. Natalino, que atenderam a ocorrência, acionaram uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) para prestar atendimento ao garoto.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê detenção de 2 a 4 anos e multa para aquele que vender ou fornecer, a criança e adolescentes, produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida, como é o caso da bebida alcoólica.
Pela Lei de Contravenções Penais (LCP) aquele que servir bebidas alcoólicas a menor de 18 anos pode pegar de 2 meses a 1 ano de prisão simples ou multa. “Quero punição para quem fez isso com o meu filho”, disse Ruth.

Integrantes da Associação de Moradores da invasão repudiaram a atitude do fornecedor de bebida ao menor e prometeram adotar as medidas cabíveis para a sua identificação e punição.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation