Banco Mundial entrevista Binho Marques

O governador Binho Marques concedeu na última quinta-feira, 15, entrevista à jornalista Denise Marinho, assessora de imprensa do Banco Mundial, que está produzindo dois vídeos que serão apresentados à diretoria da instituição em Washington, sede do banco. Projetos financiados pelo Banco Mundial em dez Estados e cinco municípios (Rio de Janeiro, Santos, Pelotas, Olinda e Recife) foram selecionados como experiências que podem ser replicados em qualquer região apesar de suas características locais. A proposta é mostrar a inserção do Banco Mundial no País. No caso acreano, o Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Sustentável (ProAcre) foi o tema da entrevista.

“O senhor teria alguma história ou caso específico onde a atuação do banco foi providencial?”, perguntou a jornalista. “A própria fase de elaboração do ProAcre, onde o Estado apresentou uma ideia ousada de um programa multisetorial, sem grandes desembolsos e com foco territorial definido. O auxílio do banco foi fundamental”, respondeu  o governador apresentando números que confirmam a relevância e o alcance do ProAcre: mais de 16.000 atendimentos no Programa de Saúde da Família (PSF) Móvel, aquisição de 7.935 livros para atender escolas, 41.076 kits sala de aula (material escolar), 6.599 filtros de água, 100 planos de desenvolvimento comunitário, 395 produtores beneficiados com o Programa de Fomento à  Comercialização da Produção Sustentável, 1.900 documentos pessoais emitidos.

Os vídeos terão duração de 15 e 20 minutos. O Banco Mundial está entrevistando governadores e prefeitos. Não é primeira vez que o ProAcre é referência para a instituição. No ano passado, Binho Marques foi entrevistado para um documentário veiculado no mundo inteiro. Naquela ocasião, entre mais de cinqüenta projetos da carteira de investimentos do Banco Mundial no Brasil, apenas os programas Bolsa Família e ProAcre foram selecionados para fazer parte da produção. O ProAcre tem previsão de duração de seis anos.

Do valor total, US$ 120 milhões estão sendo financiados pelo Banco Mundial e os US$ 30 milhões restantes representam a contrapartida do Estado, já efetivada em investimentos que trouxeram excelência nas várias áreas do governo. O ProAcre está contribuindo de modo decisivo  para os esforços do Governo do Estado em promover a inclusão social e econômica das populações em situação de pobreza, vulnerabilidade e risco social, residentes tanto nas áreas urbanas quanto nas áreas rurais antes tidas como remotas ou isoladas. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation