Tião Viana anuncia que vai criar secretaria para incentivar pequenos negócios no Acre

Ao visitar feiras e mercados na manhã deste sábado, 25/07, em Rio Branco, o senador Tião Viana, candidato ao Governo do Estado pela Frente Popular do Acre (FPA), revelou que, se eleito, uma das primeiras secretarias de Estado a ser criada em sua administração será aquela que vai fomentar os pequenos negócios.
Mercado
“Penso numa secretaria com a única finalidade de fomentar e apoiar projetos que possam gerar emprego e renda para pessoas que vivem de hortaliças, de frutas e de outros pequenos negócios que acabam fazendo a economia girar”, disse Tião Viana, ao se encontrar com verdureiros, hortifrutigranjeiros e outros trabalhadores que varam as madrugadas para que seus produtos cheguem à mesa do consumidor.

“Aqui está um Acre pungente e que demonstra a capacidade do nosso povo na luta por sua libertação econômica. Esse é meu sonho e meu compromisso: lutar no governo para levar adiante o projeto da Frente Popular apoiando idéias da comunidade para que ela possa ter autonomia econômica, em todos os municípios”, disse o candidato.

Tião Viana visitou os feirantes de Rio Branco acompanhado dos companheiros de vida e de chapa majoritária, Jorge Viana e Edvaldo Magalhães, candidatos às duas vagas ao Senado. Todos ficaram emocionados com o que viram.

“Fico muito orgulhoso de saber que muito do que está acontecendo nesta área, começou lá atrás, quando chegamos à Prefeitura de Rio Branco”, disse Jorge Viana, “Quando assumimos a Prefeitura, o descaso com essa área era tão grande que o município não dispunha sequer de uma Secretaria de Agricultura. Nós não só criamos a secretaria municipal de agricultura, como apoiamos pólos e projetos que, na administração do prefeito Raimundo Angelim, vem recebendo o apoio e o incentivo necessários para podermos vivenciar isso aqui”, disse o ex-governador.

Edvaldo Magalhães disse que, ao contrário do que acontece no Vale do Juruá, Rio Branco e o Vale do Acre não precisam importar produtos hortifrutigranjeiros. “Tive que atuar, como presidente do Poder Legislativo, para que pudéssemos trazer produtos dessa natureza importados do Peru. Diante do que estou vendo aqui, com essa iniciativa do Tião Viana de criar uma secretaria de Estado para incentivar pequenos negócios, tenho certeza de que meus irmãos do Juruá vão ter o apoio necessário para que não precisemos mais da importação desses gêneros”, disse.

O anúncio de Tião Viana, de criação de uma secretaria para fomentar os pequenos negócios, fizeram a alegria de pessoas, como é o caso da agricultora Léia Silva de Souza, de 33 anos, dona de um pequeno sítio na zona rural do Bujari. Com a ajuda do marido e dos filhos, ela retira cerca de 60 a 70 litros diários de leite de cerca de 20 vacas que mantém em sua propriedade. Com o leite, ela fabrica iogurtes em vários sabores (milho verde, banana, mamão e outros), doces de leite e outros derivados do produto e já consegue uma renda superior a dois salários mínimos por mês.

Também é o caso de Raimundo Amâncio da Costa, de 47 anos, morador do ramal da Judia, em Rio Branco. Antes, ele ganhava um salário mínimo por mês trabalhando como lubrificador numa empresa de ônibus da capital. “Um dia, decidi utilizar uma hectare de terra da minha família e passei a plantar jambu, couve, cebola de palha, chicória e coentro. Hoje, dois anos depois, minha horta gera dois empregos e eu tenho uma renda de mais de dois mil reais por mês”, contou; “É por isso que eu apoio os candidatos da Frente Popular, porque só consegui isso com o incentivo desse pessoal”, disse.

“Estou vivo porque o Tião Viana, como médico, salvou minha vida”, acrescentou Almir Ferreira Rezende, de 45 anos, líder comunitário da região do igarapé Judia, no bairro Seis de Agosto, em Rio Branco, que se encontrou com o candidato por acaso nas imediações da Feira “Elias Mansour”, na Cadeia Velha. Líder comunitário, é Almir Ferreira que traz os produtores do Judia para vender seus produtos nos mercados da cidade.

É ele quem conta sua história com Tião Viana. “Eu estava condenado a perder uma das minhas pernas por causa de um problema no joelho. Quando ele era médico lá no Santa Juliana, o procurei, pedindo socorro. Eu não queria perder minha perna. O Tião se dedicou a mim como se dedica a um irmão e hoje eu estou de pé, andando, graças a ele e não posso deixar de reconhecer o valor desse médico humanitário e um política que enche a gente de orgulho”, disse. (Assessoria)

Mercado_3

Mercado_2

Assuntos desta notícia


Join the Conversation