História acreana serve de inspiração para a campanha política da Frente Popular

Os candidatos majoritários da FPA partiram do princípio de que o conhecimento histórico de um povo é um alicerce sólido para construir o seu futuro. Por isso, aproveitaram o feriado que marca o início da Revolução Acreana, 6 de agosto, para realizarem uma verdadeira peregrinação por cinco municípios do Estado.
Historia-acreana
Os candidatos Tião Viana (PT), Jorge Viana (PT) e Edvaldo Magalhães (PCdoB) cruzaram as nossas três principais bacias hidrográficas para levar as propostas com as quais pretendem continuar o processo de transformação social e crescimento econômico do Acre. Rio Branco, Manuel Urbano, Santa Rosa do Purus, Jordão e Cruzeiro do Sul receberam a visita da comitiva da FPA, numa viagem associada às atividades de campanha que durou 16 horas ininterruptas.

A inspiração no herói revolucionário
A jornada começou de manhãzinha no monumento que marca o local da emboscada que tirou a vida de Plácido de Castro às margens do Rio Acre, no Amapá, em Rio Branco. “Queremos mostrar o nosso respeito à história do Acre. Olhando o passado seremos merecedores do futuro. Tudo que aprendi na gestão pública a origem está nas estratégias de batalhas do militares. Plácido de Castro trouxe ao Acre organização, a disciplina e uma visão estratégica. Ele foi o engenheiro da nossa Revolução”, salientou o candidato ao Senado, Jorge Viana.

O governado Binho Marques (PT), que participou do evento, como militante, ressaltou que o Acre é um lugar que valoriza a sua história.  “Temos que comemorar um feito digno. Estamos falando de um pedaço da história que mostra um grupo de seringueiros lutando contra um exército regular. O Plácido de Castro era uma pessoa correta e íntegra como devem ser os nossos políticos. Ele sobreviveu à guerra contra os bolivianos, mas não sobreviveu à guerra política”, ressaltou.

O outro postulante ao Senado, Edvaldo Magalhães, relacionou a história da Revolução com fatos mais recentes. “Mergulhando na história do nosso povo a gente lembra que há 20 anos se impediu que prevalecesse uma visão forasteira de desenvolvimento para o Estado quando a candidatura de Rubens Branquinho atingia índices de 50% na disputa eleitoral. Fizemos o movimento encabeçado pelo Jorge Viana e desenhado pelo Binho que pegou símbolos da nossa história, o hino e a bandeira, para que a gente pudesse levar o povo para fazer um debate sobre o futuro do Acre. Por isso, precisamos reafirmar mais ainda o compromisso com essa história e completar a nossa trajetória”, argumentou.

O candidato ao governo, Tião Viana, preferiu ressaltar as qualidades de Plácido de Castro como formador dos valores que norteiam os acreanos. “Se pudesse entrar na máquina do tempo voltaria à Revolução Acreana. O Plácido de Castro era um homem que lia os grandes filósofos da humanidade no meio da mata e se aliava politicamente aos grandes jornais brasileiros para levar a divulgação dos valores da Revolução. Tenho a visão que o Plácido de Castro nunca quis o separatismo, mas a integração do Estado através da disciplina. Queria que todos tivessem acesso ao conhecimento. Ele queria educar as pessoas como fizeram o Jorge e o Binho”, lembrou.

A Jornada no Purus
Na próxima etapa entre Manuel Urbano e Santa Rosa do Purus, Jorge Viana, lembrava que foi nessa região em que o escritor Euclides da Cunha sonhou com a integração amazônica.  Em Manuel Urbano a comitiva da FPA foi saudada, no aeroporto, pela ex-governadora Iolanda Lima (PTB), de microfone na mão, exaltando as recentes transformações do Estado e dando as boas vindas aos candidatos na sua terra natal. No Clube Chico Verde mais de 800 lideranças rurais, urbanas e indígenas, que debatiam sugestões para o plano de governo da FPA, esperavam para ouvir as palavras de Jorge, Tião e Edvaldo.

O prefeito de Manuel Urbano, Francisco Mendes (PP), abriu os trabalhos destacando as melhorias do seu município depois dos 12 anos de gestões da FPA. Jorge Viana, ressaltou: “as brigas políticas em Manuel Urbano é uma página virada. Agora, é hora do trabalho. Aqui só se chegava de barco e de avião. A cidade nunca recebia a visita de um governador. Mas isso acabou durante o meu governo. E estamos prestes a terminar definitivamente com o isolamento de Manuel Urbano com a conclusão da BR-364 e dessa bela ponte sobre o Rio Purus. O nosso sonho é unir o Acre inteiro. Por isso, estamos terminando essas obras de infra-estrutura para melhorar a vida das pessoas”, apregoou.           

Edvaldo Magalhães lembrou que os filhos de Manuel Urbano tinham que ir para Sena Madureira para estudar. “Este foi o último verão de isolamento. No próximo já teremos todos os nossos municípios integrados economicamente com a estrada. O Tião Viana vai aumentar o número de vagas para o ensino profissionalizante e conceder bolsas de estudos para as famílias de baixa renda que queiram mandar seus filhos à universidade”, destacou.

Por outro lado, Tião Viana, ressaltou que apenas a construção da estrada não é o suficiente. “Estamos aqui para ouvir as boas sugestões dos grupos de trabalho para o nosso plano de governo. Queremos a independência das comunidades e a prosperidade econômica das pessoas. Vamos avançar na produção de alimentos para atender o mercado interno e externo dando mais oportunidades para os empresários. Faremos a regionalização da merenda escolar. E na saúde teremos um atendimento melhor e com mais humanidade. Esse vai ser o desafio porque a estrutura está pronta e teremos mais recursos para investir no que é necessário. Na segurança também avançaremos, principalmente, combatendo o narcotráfico que desagrega as famílias”, argumentou.

Chegando à Santa Rosa do Purus, a comitiva da FPA, fez uma reunião com cerca de 500 lideranças indígenas e rurais, no Chalé Clube. O prefeito José Brasil (PT), lembrou que na eleição passada Tião Viana recebeu literalmente todos os votos do eleitorado do município. Também pediu aos candidatos que, caso eleitos, ajudem a minimizar os problemas de isolamento de Santa Rosa.  

Jorge Viana lembrou: “há alguns anos parecia que nada estava certo em Santa Rosa. Mas quando era governador assumi compromissos com os ribeirinhos e indígenas sem enganar ninguém fazendo aquilo que era possível para melhorar a vida da cidade. E as condições atuais daqui permitirão que o Tião Viana cuide de Santa Rosa com o olhar de um médico. Os municípios do Acre estão melhorando, mas têm alguns que precisam mais atenção como Santa Rosa”, garantiu.

Edvaldo argumentou que muita gente pensou em abandonar Santa Rosa antes dos governos da FPA. “A cidade iria desaparecer. Mas atualmente aqui tem segundo grau e curso universitário implantado pelo Jorge Viana. Os professores receberam formação e, no próximo governo, poderemos fortalecer a economia das nossas cidades gerando perspectiva de trabalho para a população de Santa Rosa”, salientou.

O candidato ao governo, Tião Viana, revelou o carinho que sempre teve por Santa Rosa e as conquistas que ajudou através do seu mandato de senador como o Hospital da Família e a Fábrica de Gelo. “Hoje Santa Rosa tem dois médicos e dois dentistas, uma pista de pouso para os aviões e telefones celulares para a população se comunicar. Vamos melhorar a situação do município criando possibilidade de se tirar a riqueza da floresta e levar às pessoas novas atividades de produção para criar condições de uma emancipação econômica regional”, afirmou.

Na trilha de Thaumaturgo de Azevedo
A peregrinação pelo Juruá começou no Jordão. Num dia histórico, a lembrança do desbravador da região, Thaumaturgo de Azevedo, se fez viva em todos os discursos da comitiva da FPA. Uma passeata pelas ruas da cidade acompanhada por índios ornamentados por pinturas e cocares marcou o início de mais uma reunião para propostas do plano de governo da FPA.

No caminho Jorge Viana comentou: “os lugares que têm menos votos são os mais necessitados de ajuda. Por isso, estamos visitando-os como prioridade”. Já no salão de festa do Nosso Bar, o ex-governador, lembrou da aventura que viveu, em 98, quando depois de caminhar três dias por trilhas e varadouros desde Marechal Thaumaturgo chegou esfomeado ao Jordão onde foi recebido com carinho pela população.

“Viemos renovar os nossos compromissos com essa terra. Tudo que foi feito de positivo por aqui nas gestões da FPA tiveram a mão do Tião Viana, no Senado e do Edvaldo Magalhães, na Aleac. A história do Acre está mudando e a vida das pessoas melhorando. O que não pode são os nossos adversários virem aqui criticar tudo e depois saírem falando mal do Jordão. A diferença é que eles falam mal e não tem nada para mostrar e o povo do Jordão sabe o que fizemos nesses anos”, disse Jorge para as mais de 400 lideranças.

O postulante ao Senado, Edvaldo Magalhães, destacou que é preciso que as pessoas saibam para quem estão entregando a responsabilidade de governar o Acre. “Por isso, estamos aqui para ouvir os companheiros para fazermos uma campanha compartilhada. A juventude do Jordão que estava apartada das famílias porque tinham que ir estudar em Tarauacá ou Cruzeiro do Sul atualmente pode fazer o segundo grau e a faculdade aqui mesmo”, ressaltou.

Dialogando com o prefeito Hilário Melo (PT), Tião Viana, garantiu que num eventual novo governo da FPA ajudará ainda mais a região. “Vocês que escolheram as cabeceiras dos rios para viverem sabem dos avanços que conseguimos e isso nos dá esperança no futuro. Vamos melhorar a situação econômica através de técnicas para tirar renda da floresta. Vamos melhorar o Hospital da Família e criar uma Casa de Passagem em Rio Branco para aqueles que precisam de um tratamento de saúde mais especializado. Isso através da nossa união política”, prometeu.  

Já à noite, em Cruzeiro do Sul, a comitiva da FPA inaugurou o comitê central de campanha com a presença de cerca de 1.500 pessoas. Os candidatos a deputado federal Thaumaturgo Lima (PT), Perpétua Almeida (PCdoB), Gladson Cameli (PP) e Henrique Afonso (PV) se uniram aos majoritários no evento. O destaque foi o deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS) que declarou apoio ao projeto da FPA publicamente.

“O Ilderlei chegou à conclusão de que a oposição não tem condições de governar o Acre. Na terra de Thaumaturgo de Azevedo a gente vê o seu exemplo de que é preciso sacrifícios para melhorarmos a política. Estamos fazendo aqui a Ponte do Juruá e o Estádio Arena da Floresta. Já entregamos o Hospital Regional, a Universidade da Floresta e a nova Avenida Mâncio Lima. Temos muito o que fazer ainda por Cruzeiro do Sul, mas isso só será possível com o Tião Via-na no governo, eu e o Edvaldo no Senado e a Dilma (PT) na presidência que têm compromissos com o Juruá”, discursou Jorge Viana.   

Já Edvaldo lembrou os cruzeirenses que no próximo verão a BR-364 estará concluída. “Se Cruzeiro do Sul foi capaz de se construir no isolamento imaginem com a liberdade de ir e vir e se integrar economicamente com o resto do Estado?”, indagou.

 No seu pronunciamento, Tião Viana, retomou o tom histórico. “No passado o Thaumaturgo de Azevedo deu a sua vida ao Juruá e nós estamos aqui para celebrar o futuro. O Ilderlei veio nos apoiar porque não queria estar do lado errado. E nós estamos falando de união. Em breve, cinco mil alunos estarão estudando nas escolas técnicas federais que o governo Lula nos concedeu. Mas como a ponte do futuro que estamos construindo no Juruá vamos construir nos bairros do Telégrafo e Remanso uma avenida tão bonita como o Parque da Maternidade, de Rio Branco, para urbanizar essas áreas da cidade”, finalizou.   

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation