Acre segue avançando como exemplo em transplantes/doações de órgãos do Norte

Na semana em que o Ministério da Saúde lança campanha e disponibiliza R$76 milhões (portarias no Diário Oficial da União, 28) para aumentar 20% do número de doações de órgãos no país, o Acre continua consolidando a sua política de transplantes.Um trabalho que já se tornou modelo para a região! Ao todo, foram realizados 20.253 transplantes no Brasil (90% pelo SUS) em 2009, com alta de 16,4% no 1º trimestre deste ano. A meta é fortalecer a estrutura de unidades hospitalares e criar campanhas de conscientização.

transplantesnorte
No Acre, os números têm ‘baixa’ representatividade no quadro nacional, mas, se levado em conta a parcela populacional (índice demográfico), o saldo das porcentagens locais é consideravelmente positivo, com amplo destaque em se tratando de um estado do Norte. Desde 2006, foram feitos 37 transplantes (vidas salvas) no Acre, dos quais 24 foram de córnea e 13 de rins. Só em 2010 foram 15 de córnea e 6 de rins. Isto é,de janeiro até este mês o crescimento local já é de 46,1% para rins e 62,5% para córneas (54,3% no geral).

Tais valores são bastante superiores ao crescimento de 16,4% nacional, e até mesmo da tão almejada meta de 20%. O índice é similar na demanda de pacientes na fila de espera por órgãos. No país, a fila é 3 vezes maior (66 mil) do que a capacidade de transplantes (20 mil/ano). No Acre, o estudo da Central de Transplantes aponta que 22 pessoas estão sendo preparadas para receber rins, ou seja, ao ritmo de 6 cirurgias anuais – número que ainda pode subir – a demanda atual seria também cerca de três vezes maior (36,66%).

Na captação de órgãos, o Acre é um destaque maior ainda, com o índice demográfico mais alto tanto do Norte, quanto entre todos os estados das demais regiões do Brasil. 

De acordo com a gerente da Central de Transplantes do Acre, Suelany Souza, tais dados positivos comprovam o salto local que as referidas cirurgias registraram nos últimos 4 anos.“Somos, junto ao Amazonas, os únicos estados da região que têm fortalecido essa ala de captação de órgão. Para se ter idéia, em Rondônia só se faz transplante de córneas em caso de urgência. Aqui não! Por isso, podemos afirmar que o Acre está crescendo em transplantes um passo a frente dos seus vizinhos”, avalia a enfermeira.

E como todo bom trabalho deve ter continuidade, a gerente também destaca alguns dos maiores desafios pela frente. Segundo ela, os maiores passos para o desenvolvimento da ala em 2011 é seguir aumentando a quantidade de cirurgias até conseguir zerar a lista de espera por órgãos, conscientizar mais ainda a população sobre a importância da doação no caso de morte encefálica (e portanto definitiva, sem chances de ressurreição). Outro objetivo é instalar a estrutura necessária para realizar transplantes de fígado.   

Simpósio de Transplantes de órgão – Como tudo no Acre fica à frente em se tratando de doação de órgãos, a programação da central estadual de doação de órgãos foi iniciada desde sexta retrasada (17) e teve fim nesta segunda (27).Foram 10 dias de palestras no II Simpósio Estadual em Doação de Órgãos e Transplantes, dando espaço ao pleno debate de diversas temáticas, tais como traçar metas para o futuro, renovar e capacitar técnicas locais, além de trocar experiências profissionais com os 2 médicos vindos de São Paulo.           

 

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation