Gazetinhas 24/10/2010

* Ufa!

* Última semana de campanha eleitoral.

* Saturou, encheu.

 * O país praticamente parou quase um ano inteiro.

* Fosse ainda uma campanha de bom nível, tudo bem.

* Esta, porém, foi das piores.

* Até para presidente da República, uma bolinha que quicou na careca de um candidato virou um violento atentado.

* E a sociedade ainda tem que agüentar 24 horas o lero-lero da propaganda política do horário gratuito no rádio e televisão.

* A propósito, o leitor Edmar Bezerra manda e-mail, sugerindo que a Justiça Eleitoral acabe com as inserções de um minuto. Já é muito o de hora em hora.

* Quem quiser que pague – como é de praxe em outros países.

* Mas, enfim, no domingo que vem, todos às urnas para votar em Dilma ou Serra; Serra ou Dilma.

* A julgar pelas últimas pesquisas, parece que o quadro está muito favorável à Dilma.

* Não é possível que com apenas dois candidatos renomados institutos de pesquisa sejam tão ruins assim.

* A propósito das dissensões que se está assistindo na família de Chico Mendes leitora manda e-mail dizendo que “está tudo lá no Acre onde o vento faz curva”.

* Quando Daní, a índia Huni Kuí, fala para Leonardo, o vacilão, que o Acre talvez esteja precisando de outro Chico Mendes.

* Pára com isso. É apenas um papelucho, ficção.

* Outro leitor telefona querendo saber quando a sociedade vai ser informada sobre os processos que correm na Justiça Eleitoral.

* Cita alguns, como os dos candidatos “fichas sujas”; aquela dinheirama de quase meio milhão de reais apreendido com a candidata missionária; e o rancho Boi Cagão.

* Entre outros.

* Lhé, sempre o Lhé, passou a semana inteira telefonando, mandando mensagens, pedindo pro Dim fazer uma charge de Marina em cima do muro.

* Dim fez. Colocou um seringueiro, um índio e o próprio Lhé em baixo do muro, pedindo “desce, Marina, desce” e ela em cima dando língua.

* O telefone toca, toca, não pára de tocar. São leitores reclamando do caos que tomou conta da cidade na noite de sexta com o vendaval e a chuva.

* Um deles contou que no Bosque o ‘apagão’ começou às 19h30; às 20h, voltou a energia; às 22h30, de 15 em 15 minutos apagava e acendia e foi assim até à 1 da madruga.

* Quando voltou em definitivo, a geladeira, ar condicionado e outros eletrodomésticos não funcionavam.

* Por situação pior passaram moradores de alguns bairros, como os do Vitória, que ficaram 15 horas consecutivas sem energia.

* De lascar, de lascar, de lascar.

* Bela matéria do filhão Tiago dando uma panorâmica da Feira Panamazônica, no Horto Florestal.

* E os visitantes ainda podem apreciar a criação de jacarés do prefeito Angelim, no lago do Horto.

* Vários clássicos hoje pelo Brasileirão. Que percam todos.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation