Tião e Jorge Viana pedem sacrifício de eleitos pela candidata Dilma Rousseff

Um sacrifício a mais. Foi isso o que pediu, no início da noite de ontem, o governador eleito Tião Viana ao reunir os deputados estaduais e federais eleitos pela Frente Popular do (FPA), além dos dirigentes dos partidos que compõem a coligação, em relação à candidatura de Dilma Rousseff à presidência no segundo turno. A reunião serviu também para a retomada da campanha de Dilma rumo à vitória no segundo turno.
Jorge-Dilma
“Sei que todos aqui estão cansados porque a campanha foi realmente dura, cansativa para todos, mas estou aqui pedindo um sacrifício a mais para que possamos garantir a eleição de Dilma no segundo turno”, disse Tião Viana.

Participaram da reunião, além do governador, o senador eleito Jorge Viana, o vice-governador César Messias e o prefeito de Rio Branco, César Messias. Tião Viana advertiu para o fato de que Dilma Rousseff vem sofrendo uma dura campanha de difamação e isso vai requerer mais esforço de seus aliados.
“A Dilma está sofrendo uma dura campanha de desconstrução de sua imagem moral e de sua história como democrata”, disse Tião Viana. “Daí que nós todos temos que fazer esse sacrifício não só para que a verdade seja estabelecida como também para não permitir que a mentira das elites coloque em risco um projeto de continuidade que vem mudando o Brasil”, acrescentou.

Na condição de membro do diretório nacional, o deputado federal Nílson Mourão, primeiro suplente de senador eleito,  disse que o presidente Lula está confiante na vitória de sua candidata, inclusive no Acre. “O presidente Lula confia no povo com o qual ele se relacionado desde 1978”, disse Mourão.
Jorge Viana lembrou que Dilma Rousseff vem garantindo a supremacia do primeiro turno, segundo vem atestando as pesquisas de opinião pública. “O Nordeste vê reconhecendo o que foi feito pelo governo Lula e vem apoiando Dilma, o que a coloca em primeiro lugar em todas as pesquisas.

O povo do Amazonas, aqui pertinho, também vem dizendo não ao projeto paulista que pretende pôr fim à Zona Franca de Manaus e impedir o desenvolvimento da Amazônia”, disse Jorge Viana. “Falta o Acre fazer sua parte e acho que isso depende muito das pessoas que estão aqui. Se a gente se esforçar, se voltarmos às casas das pessoas que garantiram as nossas vitórias, vamos dar a Dilma a mesma vitória que garantimos ao companheiro Lula”, acrescentou. (Assessoria)

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation