Diarista é assassinado com tiro de espingarda no pescoço

Acusado é pai de uma criança assassinada pelo padrasto na cidade de Brasiléia
Tiro_de_espingarda
O diarista Cláudio Pereira Martins, 28 anos, foi assassinado na noite de quinta-feira, 14, com um tiro de espingarda calibre 16, que atingiu o pescoço e queixo da vítima.

O crime aconteceu em uma propriedade rural, localizada no Ramal Porto Alonso, Projeto Caquetá, região do município de Porto Acre.

Segundo o que a Polícia conseguiu apurar a vítima consumia bebida alcoólica em companhia do acusado Valdecir Ferreira Miranda, 30 anos, “ o Uru”, quando Cláudio teria colado um adesivo nas costas de Valdecir, que mandou que ele retirasse o adesivo e Cláudio em tom de brincadeira afirmou que o acusado retirasse o adesivo sozinho.

Valdecir não teria gostado da brincadeira, retirou o adesivo em seguida foi até uma propriedade vizinha onde teria deixado uma espingarda, e retornou a casa onde ambos em companhia de duas adolescentes consumiam bebida alcoólica.

No portão da propriedade Valdecir, sem que Cláudio percebesse teria deixado a arma escondida e foi até o local em que Cláudio se encontrava e sem que ninguém percebesse que ainda estaria com raiva da vítima, “Uru” chamou Cláudio para ir até o portão de entrada.

A vítima sem desconfiar de nada acompanhou Valdecir, que ao chegar ao portão, cerca de 50 metros de distância da casa pegou a espingarda e efetuou um único tiro que acertou o queixo e pescoço de Cláudio que caiu no chão sem vida.

Após o crime o acusado caminhou cerca de 200 metros, de arma em punho quando decidiu abandonar a espingarda, próximo a uma porteira que limita a entrada da propriedade, e em seguida fugiu.

Acusado teria afirmado que mataria uma pessoa para ir ao Presídio vingar a morte do filho
Segundo informações de moradores da localidade, Valdecir Miranda, era o pai de uma criança de um ano de idade e quatro meses, que foi espancada até a morte pelo padrasto.

O crime aconteceu no início do mês de setembro passado na cidade de Brasiléia, quando a criança Emanuel Brito, de um ano e quatro meses foi levada ao Hospital de Brasiléia, distante de Rio Branco, cerca de 240 km, fronteira com a Bolívia apresentando vários hematomas pelo corpo e a dona de casa Edna Brito, 22 anos, mãe da criança teria informado aos enfermeiros e médico que o filho teria sofrido uma queda.

Em seguida a criança não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no Hospital. Os médicos comunicaram o fato a Polícia que descobriu através da confissão da mãe da criança, que o filho teria sido brutalmente espancado pelo padrasto, o peão de fazenda Francimar Muniz da Silva, 22 anos, também conhecido pelo apelido de “Pepeu”, que foi preso junto com a mãe da criança e ambos foram encaminhados ao Presídio.

Valdecir Miranda, o pai da criança nos últimos dias teria comentado para várias pessoas que pretendia praticar um crime para ser preso e encaminhado para o Presídio, onde pretendia matar o homem acusado de assassinar seu filho.

Valdecir fugiu antes da chegada da Polícia
Após cometer o crime, Valdecir Miranda, conseguiu fugir antes da chegada da Polícia, antes, porém segundo informações teria deixado recado com testemunhas que retornaria para sua casa, localizada na Colocação Santa Isabel, na Reserva Extrativista Pai Barreiro, onde ficaria aguardando a chegada da Polícia para prendê-lo.

A Resex Pai Barreiro fica localizada a cerca de 30 quilômetros do local em que Valdecir cometeu o crime de homicídio.

Tiro_de_espingarda_3

Tiro_de_espingarda_2

Tiro_de_espingarda_4

Tiro_de_espingarda_5

Tiro_de_espingarda_6 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation