Tragédia na Floresta: Árvore em chamas esmaga criança de 9 anos que retornava de escola

Uma fatalidade chocou a moradores do Projeto de Extrativismo Pai Barreiro, localizado no Ramal Linha 1, km 72 da BR 317, região do município de Porto Acre.
Criana_esmagada
A estudante Luana Felix de Alencar, 9 anos, morreu esmagada por uma árvore em chamas quando retornava da escola no final da tarde de sexta-feira, 8.

A criança morava com a avó Maria de Moura Pereira, 57 anos, na Colocação Santa Isabel. Todos os dias ela caminhava cerca de três horas pelo meio da mata em uma viagem de ida e volta para freqüentar a escola.

No final da tarde, teria saído da Escola Rural Raimundo Gomes, onde cursava o primeiro ano do ensino fundamental, e retornava para casa no Projeto Extrativista Pai Barreiro quando, no meio da mata em um varadouro ou “picada”, se deparou com uma árvore em chamas.

A criança estava acompanhada da avó e uma irmã de 11 anos. A avó das crianças, temendo que a árvore caísse sobre as crianças, resolveu abrir um atalho no meio da mata para desviar a passagem pela árvore.

Quando as três já haviam passado pelo desvio aberto com terçado e retornavam pela picada, a árvore caiu sobre o corpo da criança.

Desesperada, a avó da criança ainda tentou reanimá-la, mas não mais adiantava, pois o peso da árvore esmagou a menina.

“Foi horrível. Quando olhei pra trás, os cabelos de minha neta estavam pegando fogo. Coloquei minha mão no coração dela e estava fraquinho. Caminhei ainda uns 10 minutos levando ela no colo, quando não agüentei mais, a irmã dela de 11 anos ajudou levando ela nas costas. Não ia deixar o fogo consumir seu corpo”, contou a avó da criança em prantos.

Notícia da tragédia se espalhou e chocou comunidade da Resex
Maria de Moura mora na Resex Pai Barreiro há 23 anos. A morte da neta dela se espalhou e vizinhos de duas, três e até quatro horas de viagem (caminhada dentro da mata), foram ao local, comovidos com a tragédia que vitimou a pequena Luana, que estava dando os primeiros passos na leitura e era orgulho da família, pois já conseguia soletrar as primeiras palavras.

Todos lamentaram a fatalidade e, naquele momento de dor, o gesto de união foi representado no revezamento. A cada 20 minutos duas pessoas carregaram o corpo da criança dentro de uma rede pelo meio da mata até chegar ao Ramal.

Queimada em pequeno roçado atingiu a árvore
O incêndio atingiu uma árvore que caiu sobre o corpo da criança. O fogo foi causado por uma faísca de uma queimada em roçado.

Segundo informações, no início da tarde de ontem um seringueiro teria tocado fogo em um pequeno roçado de sua Colocação.

Ele teria feito um aceiro (faixa de mata que serve para evitar a propagação de fogo), mas um vento forte teria causado faíscas, que atingiram a árvore no meio do varadouro (caminho) por onde passava as crianças e os demais moradores.

Peritos do Instituto Médico Legal (IML) e criminalistas resgataram o corpo da criança, que foi encaminhado para exame cadavérico.

 

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation