Procon investiga cobrança abusiva do combustível

 A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor solicitou ao Procon a realização de uma fiscalização com o intuito de investigar possível abuso dos preços praticados em todos os postos de combustíveis de Rio Branco.
Gasolina1504
Os fiscais do Procon já iniciaram a fiscalização do levantamento dos preços indicados nas bombas. Os proprietários terão um prazo de 72 horas para apresentar as notas fiscais dos meses de março e abril deste ano sobre a aquisição de gasolina, gasolina aditivada, etanol e diesel. 

 Rio Branco possui cerca de 60 postos de combustíveis. As visitas serão realizadas até o dia 26 de abril, data estipulada para que todos os postos da capital sejam fiscalizados.

 Desde novembro do ano passado, o Ministério Público, através da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, instaurou inquérito civil para investigar a ocorrência de práticas abusivas referente ao aumento do preço dos combustíveis.

 Os dados coletados durante a fiscalização serão enviados ao Ministério Público, que fará a análise e tomará providências, caso seja comprovada a abusividade nos preços do combustível.  (Assessoria)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation