Produtores do Acre recebem mais um lote de ovelhas

O secretário de Agricultura e Pecuária (Seap), Mauro Ribeiro, entregou na manhã de ontem, 29, mais um lote de ovelhas e carneiros reprodutores. Dessa vez, os beneficiados foram os produtores do município de Capixaba e entorno. Cada produtor recebeu um lote com 12 ovelhas da marca Santa Inês e um carneiro reprodutor da marca Dorper. Ao todo, 30 produtores foram beneficiados.

Este é o terceiro lote entregue pelo Governo do Estado e o segundo entregue neste mês. Eles fazem parte do programa de incentivo à ovinocultura, implantado pelo Governo do Estado no início deste ano. O governo adquiriu um total de 7,4 mil fêmeas e 600 machos na Bahia e está cedendo os animais aos produtores através de termo de comodato. A cada mês, novo lote é entregue a produtores previamente cadastrados. Para serem beneficiários, eles têm que atender a uma série de exigências que vão desde a aptidão para a criação de ovelhas à área apropriada para o destino dos animais.

Mauro Ribeiro, durante o evento, falou aos produtores de suas responsabilidades para com o programa. Ele pediu que cada um deles retribua a confiança que o Governo do Estado teve para com eles e contribuam para ampliar o programa. “Este é um programa que valoriza o pequeno produtor. Ele foi criado para promover uma cadeia produtiva que não era muito valorizada há até pouco tempo, mas que dá um retorno rápido e que não precisa de grandes espaços nem de muita mão-de-obra para prosperar”, explicou.

A ovinocultura exige menos espaço do que a pecuária. É especialmente recomendada para produtores como a maioria dos que estão instalados em Capixaba. Ali, as propriedades são, em média, de 15 ou 20 hectares. O manejo também é simples e não requer grandes conhecimentos, mas exige cuidados e uma boa higiene – nada que não possa ser providenciado pela própria família.

Esse é o caso do produtor Marcos Aurélio Macedo da Silva, morador do Ramal Jarina, no projeto Alcoobras. Em sua propriedade, de 16,5 hectares, ele já criava algumas ovelhas, o que facilitou na hora da seleção de produtores feita pela Seap.  “Eu acho que criar ovelhas é uma ótima opção. Essa é a única coisa que dá dinheiro lá para nós”, disse o produtor.

Marcos Aurélio é casado e tem dois filhos – um de nove e outro de 12 anos. Mulher e filhos são os que o ajudam no trato com os animais. “A gente bota os bichos no campo e não precisa ficar botando comida na boca, como galinha e porco”, explica Aurélio. “A mulher e os meninos são os que cuidam. Não precisa muita gente”.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation