Pai e tio são presos acusados de estuprar menina de apenas 10 anos

Mais um caso  de violência sexual contra menor mobilizou a Polícia Civil de Rio Branco. No final da tarde de ontem, 14, o pai e o tio de uma criança de 10 anos foram presos, acusados de estruprá-la. Investigadores do Nucria da Delegacia da Mulher, comandados pelo del. Rafael Pimentel, efetuaram a prisão do sargento aposentado da PM, Manoel Benício de Alencar, 51 anos, que seria tio de 2º grau da vítima, e do borracheiro José Francisco dos Santos, 32 anos, pai da criança.
Pai-e-tio1504
Conforme informações do delegado Pimentel, o crime sexual aconteceu em outubro de 2010, mas só chegou ao conhecimento da polícia em 28 de fevereiro deste ano. A polícia apurou que, à época, a criança tinha 9 anos e morava junto da avó paterna numa proprie-dade rural da Capital. O pai e o tio da garota são amigos e costumavam ir à propriedade rural onde a criança morava para caçar. Lá, a menina teria sido violentada.

Ontem, a polícia recebeu a informação de que a criança estaria na cidade, na casa de parentes.

Este parente – que já sabia da denúncia – teria feito um exame preliminar na vítima e reparou algo estranho nas partes íntimas. Por isso, resolveu acionar o Samu, que levou a criança à Maternidade.
Até então, os demais familiares não sabiam ao certo o motivo do atendimento. O parente teria contado o caso aos atendentes. Mas só hoje a criança estaria em sua casa, o que deu condições de tirar todas as dúvidas.

Assim que a menina foi encaminhada à Maternidade, o familiar comunicou ao del. Pimentel que ela estava sob cuidados médicos.

A equipe de investigadores e assistentes sociais foi deslocada à Maternidade para obter o resultado dos exames que comprovaria ou não a materialidade da denúncia.

Exame constata estupro – Enquanto parte da equipe do Nucria aguardava o exame, outros investigadores montavam campana nas proximidades de onde os suspeitos poderiam ser encontrados.

Tão logo os médicos atestaram que a menina apresentava ruptura vaginal resultante do estupro, a polícia se mobilizou para ouvir a vítima e prender os  suspeitos.

Após o atendimento e confirmação dos abusos, a equipe médica deu alta temporária à criança para que fosse ouvida pelo delegado, sob a observação de uma psicóloga e uma assistente social.

Segundo o del. Pimentel, a criança contou detalhes dos abusos a que teria sido submetida pelo pai e tio, pessoas que até então ela tinha como protetores.

“Ela contou com riquezas de detalhes todos os momentos de horror  que passou. Para a polícia, não resta dúvidas da culpa dos suspeitos”, afirmou o delegado.

Suspeitos são presos e alegam inocência – No final da tarde, a Polícia Civil conseguiu prender os suspeitos. Eles foram encaminhados à Deam.

Na especializada, eles negaram a acusação e afirmaram estarem sendo vítimas de uma trama.

José Francisco dos Santos, pai da criança, se contradisse  várias vezes. Num momento, ele alegou que não convivia com a menina e jurou ser incapaz de ofendê-la. Noutro, afirmou que a acusação seria uma trama da mãe, de quem havia se separado, mas a mulher não aceitava o rompimento.

Já Manoel Benício, tio de José Francisco (portanto tio de 2º grau da vítima), primeiro disse que não conhecia a criança, mas em seguida contou que a menina chegou a passar alguns dias em sua casa.
Os dois foram presos e encaminhados ao presídio estadual.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation