Tião Viana se reúne com a direção da BM&FBovespa

O governador Tião Viana se reuniu quinta-feira, 14, com a direção da Bolsa de Valores de São Paulo e da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&FBovespa), em São Paulo. O encontro teve como objetivo discutir o programa acreano para a venda de créditos de carbono, que faz parte da política ambiental do Governo do Estado.
Tiao1604
Participaram do encontro o presidente a BM&FBovespa, Edemir Pinto, a chefe do Gabinete Civil do Acre, Márcia Regina, o diretor-presidente do Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação de Serviços Ambientais, Eufran Amaral, e os consultores do governo do Estado do Acre, Virgilia Gibbon e Ludovino Lopes.

De acordo com Eufran Amaral, o Sistema Estadual de Incentivo por Serviços Am-bientais (Sisa) do Acre é o primeiro arcabouço legal da América Latina que considera não só carbono, mas outros serviços ambientais, como biodiversidade, água, regulação do clima, beleza cênica, conservação e melhoramento do solo e conhecimento tradicional, como serviços ambientais providos pelos produtores rurais, extrativistas, ribeirinhos e indígenas. Esse passo representa mais uma peça na estruturação do sistema, que vai permitir inserção de mais recursos para apoiar a produção sustentável e conservação dos recursos naturais acreanos.

O governador Tião ressaltou que “a Amazônia precisa de algo concreto para ajudar as 25 milhões de pessoas a estarem inseridas numa economia de baixo carbono, conciliando meio ambiente e desenvolvimento econômico”. Tião Viana afirmou ainda que, dentro desse contexto, o Acre necessita de que a Bolsa possa acolher os créditos do Acre e colocá-los no mercado.

O estágio atual de geração dos créditos de carbono tipo Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD) no Estado encontra-se em fase de verificação e certificação do volume já mensurado por sofisticada metodologia coordenada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O presidente a BM &FBovespa, Edemir Pinto, ressaltou que o Brasil precisa de projetos inovadores como os do Acre, que pode ser um grande exemplo para o mundo. Ele disse, ainda, que vai ajudar o Acre a derrubar as barreiras para garantir a comercialização de seus créditos e a ter visibilidade global no que se refere ao produto REDD. Pinto disse que está aberto para uma cooperação efetiva com o Acre.

Como encaminhamento, foram definidas a elaboração e celebração de um memorando de entendimento entre o Estado do Acre e a Bolsa de Valores de São Paulo e da Bolsa de Mercado-rias & Futuros que contemple a intenção do Governo do Estado em ter essa instituição como instrumento de comercialização – por meio de leilão – dos créditos de carbono (REDD) e as condições e etapas necessárias a serem superadas para sua efetivação. (Agência Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation