Grupo de turistas é detido no Peru, próximo ao Acre

Um grupo de turistas brasileiros ficou detido entre a fronteira do Peru com o Brasil, desde a manhã da última terça-feira (26). Eles foram barrados na cidade peruana de Iñapari, na fronteira com Assis Brasil, por falta de documentação (segundo o Ministério de Relações Exteriores/Itamaraty). A caravana retida de gaúchos é formada por cerca de 30 acadêmicos da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), 2 jornalistas, 2 coreanos e 1 japonês.
Peru28
O motivo do impedimento no Peru foi porque o ônibus que transportava os turistas – de uma agência de Turismo brasileira – não apresentava a devida documentação com a rota de entrada e saída do país (exigência feita para transportes terrestres em solo peruano). No caso, o motorista do ônibus não tinha a permissão para sair do país por aquele trecho.

Ele não tinha a documentação porque a entrada no país pelo Acre não estava nos planos de viagem do grupo. O ônibus partiu de Porto Alegre/RS com primeiro destino para o Chile, atravessando a fronteira através da Argentina. Após passar pelo Chile, o 2º destino turístico era o Peru, especificamente a cidade Machu Picchu. O trajeto que eles usaram para chegar as ruínas históricas foi o deserto do Atacama, pela Cordilheira dos Andes.

O mesmo trajeto seria usado para a volta, mas uma nevasca no Chile os fez mudar de idéia e decidir voltar ao Rio Grande do Sul entrando em solo brasileiro pelo Acre. O Itamaraty, até ontem, ainda tentava intermediar uma solução junto à nação peruana para a comitiva poder atravessar a barreira em Iñapari. Num primeiro momento, foi sugerido que eles, só pra atravessar a fronteira, viessem a pé (já que o problema na documentação é no ônibus e a fronteira de Iñapari é separada apenas por uma rua). Mas o grupo se negou, alegando que não iria pagar outro transporte para levá-los do Acre até o RS (distância de 4.000 Km).  

Até o fechamento desta edição, no fim da tarde de ontem, eles ainda estavam retidos, em busca de uma solução.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation