Aniversário do Rio Acre é celebrado no domingo

Palco de sangrentas batalhas da Revolução Acreana, iniciada em 6 de Agosto de 1902, o Rio Acre terá seu aniversário comemorado no dia 7 de agosto conforme projeto de lei aprovado por unanimidade pela Aleac em sua sessão da última quarta-feira.
Rio0608
Proposto pelo deputado Eduardo Farias (PCdoB), o projeto de lei é uma antiga reivindicação da Associação Amigos do Rio Acre, coordenada pelo geógrafo Claudemir Mesquita.

De acordo com o projeto de lei, foi nesta data que o Rio Acre nasceu para o povo como símbolo de posse do território acreano e da vitória do exército de uma geração que sonhou viver livre e festejar o dia do banho despido de armas.

O projeto foi encaminhado para sanção do governador Tião Viana e entrará em vigor assim que for publicado, de forma que o Rio Acre poderá ter sua primeira festa comemorativa ainda neste ano. (Assessoria)

O que dói não é ver a poluição, é saber que não fizemos o melhor possível

Claudemir Mesquita  – Professor e Geógrafo
Rio0608222Rio Acre, eis aqui teu curso para Reflexão diante da arte do palco vida e da vida da arte para fazer parte do livro da arte divina, das esculturas da natureza, és a modelagem mais bela de todas; a luz das estrelas, o brilho do luar, o tudo e o nada que a humanidade ainda pode contemplar. Suavemente entalhado no talo da argila pelas mãos do criador ao longo dos séculos, o Rio Acre encontra-se necessitando de urgentes cuidados ambientais.

Nós que te usamos todo dia, somos negligentes demais para cuidar de tua água. Vejam! Somos tão displicentes que até a ferrugem se envergonhou da nossa apática atitudes, e interveio, corroendo ou desarmando a algema que prende os cílios dos olhos daqueles que mesmo de olhos abertos, não conseguem entender que o rio zelosamente une o homem ao meio ambiente e a vida eterna.

O Rio Acre é como nosso pai, ele tanto castiga como embala. E olhem! O nosso rio é mais que um ecossistema natural, é o santuário da vida, uma declaração de amor da mãe natureza para os acreanos. Rio Acre! Sei que dos sonhos de vida você é o amor que se mostra em gotas, unindo as águas altas e as águas baixas como a justa forma, em forma de um lago raso e profundo, brando e caudaloso. Reconheço, se um dia me faltares, sabe que vou sofrer, mas se for para sofrer, quero sofrer contigo, assim, minha solidão vai se sentir acompanhado por isso necessita da tua água.

Se o Rio Acre ainda tivesse saúde para caminhar dias ou talvez meses ao encontro de suas nascentes, certamente se surpreenderia com a cena e o cenário de desilusão, dobraria os joelhos e ergueria as mãos para o céu em prantos: Oh! Minha fonte jorrante, quando eu te vi, eu bem que estava certo, sabia que me sentiria descoberto na extensão do verão aberto, justamente quando me aperto. Quando deito o olhar em tua face abatida, vejo claramente a semente da tristeza carregada para o deserto da sequidão. Minha nascente, bem que poderia olhar para  adiante, antes que seu espírito siga para o íntimo do infinito amor de Deus.

 A proposta para criação da Lei Estadual
Claudemir Mesquita,
Associação Amigos do Rio Acre

PROPOSTA: Criar a Lei Estadual, instituindo o dia 7 de agosto, aniversário do Rio Acre.
JUSTIFICATIVA: A proposição se constituiu de uma árdua luta da Associação Amigos do Rio Acre e uma reivindicação antiga e justa das Instituições de Ensino das três esferas: Federal, Estadual e Municipal; das instituições culturais, ambientais e da população que anseia comemorar o aniversário do Rio Acre. Mas, efetivamente, pelo que ele representa, historicamente, para formação cultural do Acre. Sobre suas margens o povo manifesta seu carinho: plantando flores, compondo músicas, recitando poe-sias, contação de histórias, lendas e causos do folclore acreano.

O Rio Acre, cenário e palco da histórica batalha contra os bolivianos, episódio sangrento que se encerrou em 6 de agosto, e sobre as águas do Rio Acre Plácido de Castro e seu exército planejou e auferiu a guerra.

A notícia da vitória de Plácido de Castro levou a população a eclodir sobre suas águas, as memoráveis comemorações da vitória do povo acreano. Daquele episódio até os dias atuais. A data do dia 7 de agosto permanece viva na lembrança da população acreana como o dia em que o povo recolheu, ainda com sangue, a grossa corrente que vitimou centenas de indistintas vidas.

É nesta data que o Rio Acre, majestosamente nasceu para o povo, como símbolo de posse do território acreano, e da magistral vitória do exército de uma geração que sonhou junto com o Rio Acre viver livre e festejar o dia do banho na água doce, um banho despido de armas. O dia da paz e da liberdade, o dia em que as lágrimas se juntaram as água da esperança para o povo construir portais coloridos numa imitação do arco-íris, rumo ao futuro. Ah! Como o Rio Acre sonhou com este consistente futuro: Ver um dia um parlamento composto por homens e mulheres, que lutam pela verdade, sem temer e sem cair, tal qual “o rio que rola o sol de oiro”.

O rio, sólida via fluvial, determinante para o estabelecimento de emergentes povoados, vilas e cidades, ao longo de suas margens, ainda espera pelo reconhecimento de haver sido o cenário estratégico para a vitória de uma guerra ímpar, tem o direito de ser cristianizado pela sociedade local, porquanto serve ao lugar há mais há 127 anos.

Não obstante o esquecimento, generosamente, o Rio Acre oferece a várzeas e seus meandros para edificar sólidas mora-dias de ilustres e renomados políticos, juristas, governadores, autonomistas; os imortais membros da Academia Acreana de Letras, Autoridades Eclesiásticas e ao povo que anseia, um dia, comemorar, em alto estilo, a data do dia 7 de agosto, aniversário do curso fluvial chamado Rio Acre.
O Rio Acre sedimentou os robustos pilares de um o cenário sócio-ambiental e cultural inatingível, e em cujas correntes se alegram a cidade de Deus, as moradas do altíssimo. A generosidade do nosso rio de benção e ternura só pode ser medida nos momentos de pouca chuva e de escassez de alimento.

Sabem por quê? Quando parece que os recursos naturais estão esgotados, exauridos, o Rio Acre prover, amolda e aduba as fecundas praias fluviais para os agricultores e ribeirinhos semearem a lavoura da cultura dos rios. Ainda, prover com abundância, inúmeros minerais, dentre eles, destaca-se a areia, este fino componente mineral é responsável por compor, de maneira geral, a sólida infra-estrutura da construção civil que arquiteta nossas cidades. E a água, única na região, parece ter sido pinçada pela magia do perfume da Deusa do Amor. É do Rio Acre o sublime mistério: quem bebe minha água jamais me esquecerá.

Portanto, Senhores Deputados, o Estado, na data do dia 7 de Agosto, tem o dever histórico, heróico e cívico-educacional de realizar, junto à comunidade escolar, atividade sócio-educativa e ambiental, visando a preservação do Rio Acre, realçando sua importância histórica e geográfica para a vida das cidades.

Hoje, diante dessa seleta e magnífica platéia, a Associação dos Amigos do Rio Acre espera ver aprovada a Lei ora emanada. E que seus Artigos explicitem, no corpo de seu texto, instrumentos cívicos capazes de incorporar essa data ao calendário escolar da rede oficial de ensino, bem como, crie mecanismos que estimulem as escolas, no seu corpo docente e discente, a desenvolverem atividades de valorização do Rio Acre durante a semana de comemoração do festejado aniversário.

De outro lado, acordos de parcerias, no âmbito dos Países latino-americanos, a Bolívia e o Peru; o Estado do Amazonas e com os municípios acreanos, situados nos limites da bacia hidrográfica do Rio Acre, com o firme propósito de proteger seu ecossistema aquático.  

Por fim, manifesto, com pesar e profundo descontentamento, a mudança do modelo extrativista para a economia da pecuária, bem como a construção de rodovias nos interflúvios das bacias hidrográficas. Ainda, Senhores Deputados, repudia-se, a implantação cega desses instrumentos de desenvolvimento na bacia hidrográfica do Acre, desencadeando intermináveis dores e sofrimentos, que  somente podem ser comparados a golpes de punhal ou a sistemas de ditadura, relembrando os anos de chumbo. Um sistema cruel que mata, aos poucos, o pendor de um Rio que significa, sempre, VIDA ETERNA, Senhores Deputados.

Para concluir, é prudente não descurar, porque estamos na iminência de não reconhecer o cenário ambiental histórico do Rio Acre. E, mesmo em face de tal ingratidão humana, este berço de vida acreana ainda não mereceu reconhecimento, fazer seu aniversário, comemorar seu nascimento, sua pujança, sua história, seu porvir para os filhos ilustres dessa terra, como os Senhores Deputados, que hoje irão legislar sobre o alvorecer mitológico desse manancial que dá vida a todas as vidas dessa ilustre terra acreana. 

É a proposta.
Rio Branco, 26 de maio de 2011

Claudemir Mesquita
Geógrafo

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE
FAÇO SABER que a Aleac decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica instituído, no âmbito do Estado, o “Aniversário do Rio Acre”, que será comemorado anualmente no dia 7 de Agosto.
Art. 2º Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

Sala das Sessões “Dep. Francisco Cartaxo”, 7 de junho de 2011

Deputado Eduardo Farias (PC do B)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation