Mais de 200 jovens farão cursos profissionalizantes visando as vagas do novo shopping de Rio Branco

José Francisco Souza tem 21 anos e há 5 meses saiu de Cruzeiro do Sul pra tentar uma vida melhor em Rio Branco. Com o ensino médio concluído, a única experiência profissional foi adquirida no canteiro de obras onde trabalhou de servente de pedreiro. Ele é um dos 240 jovens entre 18 e 29 anos selecionados para participar gratuitamente de um dos cursos de formação na área de comércio, oferecidos em parceria entre instituições governamentais e a iniciativa privada.
Shoping19
Pelo menos a metade deles deverá ser empregado pelo Via Verde Shopping, empreendimento a ser inaugurado em novembro e que irá dispor de pelo menos 2,2 mil vagas de emprego.

O lançamento dos cursos de formação inicial e continuada de vendedor, repositor, estoquista e auxiliar de crédito reuniu representantes de secretarias estaduais envolvidas no projeto, como a de Desenvolvimento Social e de Pequenos Negócios, Assessoria Especial de Juventude e Instituto Dom Moacyr. O IDM é que irá aplicar as capacitações, pelo Centro de Educação Profissional Campos Pereira.

Os recursos provêm da parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Governo do Estado, por meio do Projeto de Inclusão Sócio-Produtiva por Meio do Fortalecimento de Cadeias Produtivas Sustentáveis. O programa beneficia famílias vulneráveis so-cialmente e ativas no Cadastro Único do Governo Federal.

A diretora do Sistema Nacio-nal de Empregos (Sine), Heloísa Pantoja, destaca a oportunidade oferecida pelo shopping ao setor. Ela diz que, neste caso, a qualificação profissional conta mais do que a experiência. Quarenta profissionais que irão trabalhar nas lojas do shopping estão fora do Estado, participando de cursos específicos de formação.

Antônio Brito, coordenador administrativo do empreendimento, afirma que a parceria com o Governo do Estado no projeto é importante porque contribui ao fortalecimento da economia do Acre e garante, dependendo do desempenho dos alunos, que mais da metade dos participantes serão contratados.

“Nosso objetivo é agir em várias frentes para reduzir estes índices de risco social que vivem os jovens destes bairros como o Taquari, onde a violência e o analfabetismo atingem um número grande de pessoas. Sei o valor que um salário tem na vida de um jovem e o quanto isso pode transformar a realidade de uma família”, disse o governador Tião Viana.

No lugar certo, na hora certa – A maioria dos jovens selecionados vive em bairros e comunidades expostos a risco social. José Francisco, por exemplo, saiu de Cruzeiro pra morar com uma tia no Caladinho (bairro que consta na lista dos que apresentam os maiores índices de violência e as mais baixas taxas de analfabetismo na Capital, assim como o Jorge Lavocat, Defesa Civil, Alto Alegre, Montanhês e Taquari). É no Taquari que mora Naiara Lima, 19 anos, que participa de um curso profissionalizante pela primeira vez. “É minha grande oportunidade”, diz. Voluntários do Brigada Jovem, programa coordenado pela Assessoria de Juventude, também foram beneficiados com vagas para os cursos de duração de 2 meses e meio.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation