SESI realiza aulão do Ebep e Pré-Enem

Turmas recebem kits escolares e as boas vindas da Superintendência e Gerência de Educação

Alunos da primeira turma do curso preparatório para o Enem (Pré-Enem) e da segunda turma do Ebep (Educação Básica articulada com Educação Profissionalizante) lotaram o Mini Ginásio do SESI, na noite de quarta-feira, 17 de agosto. Eles participaram do Aulão Especial de Boas Vindas, com a presença da superintendente do SESI, Gisélia Belmina Beserra, da gerente de Educação, Déborah Sheyla Nascimento, e a coordenadora do Ebep, Francisca Fernandes.

Com maioria de alunos formada por industriários ou seus dependentes, ambas as turmas demonstram grande força de vontade de, em muitos casos, retomar os estudos há muito abandonados para tentar uma faculdade, elevando assim sua escolaridade e podendo conquistar melhores condições na vida. “Não podemos desistir. Sabemos o quanto é difícil trabalhar e estudar ao final do dia. Mas, se quisermos mudar nossa condição, evoluir e contribuir com o mundo, esta é a única forma. Parabenizo a todos que estão aqui fazendo este esforço. E os nossos professores, que são apaixonados pelo que fazem”, declarou Gisélia, na abertura do evento.

Logo na entrada, os participantes receberam kits escolares contendo mochila, camiseta, caderno, lápis, caneta e borracha. No entanto, dois alunos foram escolhidos para a entrega simbólica durante a solenidade: José da Silva, 30, e Vânia Maria Silva, 49. O primeiro, do Ebep, e a segunda, do Pré-Enem.

“Decidi retomar os estudos porque fui motivado dentro da empresa. Parei de estudar há mais de 10 anos, mas estou gostando. Estou conseguindo acompanhar. Além disso, o ensino profissionalizante, de pequenos objetos de madeira, vai ajudar a complementar minha profissão e minha renda”, disse José, que trabalha numa madeireira como circuleiro.

Já Vânia Maria, dona de casa e dependente de industriário, depois de ver seus três filhos já formados e o marido se formando, decidiu correr atrás de seu sonho: ser professora de português e trabalhar com crianças.

“A gente tem que se atualizar. Cansei de ficar em casa vendo o tempo passar. Isso não está certo. É a primeira vez que vou tentar uma faculdade. Ver todos os meus filhos já formados e meu marido terminando a faculdade dele, em administração, me estimulou”, garantiu. (Assessoria)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation