A mais moderna maternidade da Amazônia é inaugurada no Juruá

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, esteve em Cruzeiro do Sul, no fim de semana, com o governador Tião Viana (PT) para entregar o Hospital da Criança e da Mulher. Entusiasmado com a qualidade da obra, o ministro fez um discurso bem humorado de quase uma hora. Afirmou que os homens têm que ajudar mais as suas mulheres em todos os momentos. “Quando estou vendo o jogo do meu time, o Corinthians e chega o intervalo ou quando ele está perdendo vou para a cozinha lavar a louça para aliviar o trabalho da minha esposa”, brincou.
Maternidade16
Mostrando conhecer bem os políticos acreanos, o discurso de Padilha ressaltou a possibilidade da nova Maternidade do Juruá permitir que o pai possa acompanhar o parto do filho. Ele também destacou a importância de uma unidade de saúde poder garantir um parto normal “Tem médicos que por comodismo preferem fazer cesariana. Mas a nossa política de saúde é privilegiar os partos normais”, afirmou. O ministro destacou ainda o fato da Maternidade do Juruá permitir o parto na água.

A primeira-dama acreana, Marluce Cândida também mostrou-se satisfeita com a estrutura da Maternidade inaugurada. “Não temos que ter vergonha das nossas conquistas. Estamos a cada dia buscando mais ter uma saúde de primeiro mundo aqui no Acre. Temos ainda deficiências que vamos superando com esforço. Sou mãe de três filhos e sei da importância de um pai estar perto da sua esposa num momento importante como é o parto. As maternidades de Rio Branco e Cruzeiro do Sul são referências nessa área da medicina para o Brasil”, garantiu.

Rede Cegonha – Em coletiva, O ministro Padilha destacou o novo programa do Governo Federal. “A presidente Dilma (PT) lançou um programa batizado de Rede Cegonha e vamos mobilizar todo o nosso esforço para garantir uma assistência qualificada ao parto. O programa começa no pré-natal nas unidades de saúde e passa pelas campanhas de prevenção. Mas é fundamental que tenhamos maternidades como a do Juruá equipada com o que existe de mais moderno na medicina para garantir um parto humanizado. Por isso, o Rede Cegonha envolve a ampliação de UTIs maternas e incubadoras para os bebês como as que vimos aqui”, salientou.

Para o ministro incorporar as tradições e culturas das comunidades no nascimento é muito importante. “Por isso aqui tem o centro de parto normal respeitando a cultura da população e o direito da mulher ter um acompanhante durante o parto para ficar mais segura. Estou muito impressionado porque essa é a primeira maternidade completa do Rede Cegonha. Temos equipamentos fundamentais para que a gente reduza a mortalidade materna que ainda é muito elevada no nosso país. Essa redução tem que ser um dos nossos objetivos do milênio e uma unidade hospitalar como essa na Região Norte do país é que vai nos permitir reduzir esse índice”, declarou.

Tião Viana destaca parceria
Para o governador uma obra tão complexa que teve o investimento do BNDES de R$ 9 milhões na compra equipamentos hospitalares só é possível através de parcerias. “Estou agradecido à presidente Dilma e ao ministro Padilha que abraçaram a saúde pública da Amazônia.

Desde março estão com o programa de proteção da mulher começando com a prevenção do câncer de colo de útero e de mama. O Rede Cegonha é um dos grandes compromissos brasileiros com a mulher que está com uma criança no útero e quer proteger o seu bebê. A Maternidade do Juruá está completamente preparada segundo a orientação do Ministério da Saúde para abraçar as mães do Juruá e as crianças que estão nascendo. Além de podermos avançar muito com o preventivo do câncer de colo de útero e da mama”, finalizou. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation