PCdoB lançará Zequinha Lima à prefeitura de Cruzeiro do Sul

O fim de semana político promete ser agitado no Juruá. Amanhã as principais lideranças nacionais e regionais do PMDB promoverão uma grande convenção partidária. Espera-se que o nome do atual prefeito Wagner Sales (PMDB) seja oficializado como pré-candidato à reeleição. Por outro lado, no sábado (27) o PCdoB também fará um grande encontro político em Cruzeiro do Sul que indicará o ex-vereador e atual suplente de deputado estadual, Zequinha Lima (PCdoB) como pré-candidato a prefeito.

Aos poucos o tabuleiro sucessório municipal para 2012 começa a tomar contornos definidos na segunda maior cidade do Acre. Mais recentemente Wagner Sales tem evitado dar entrevistas afirmando não ser candidato. Enquanto os partidos que integram a FPA procuram nomes alternativos caso o vice-governador César Mes-sias (PP) não queira disputar o próximo pleito na sua terra natal. Zequinha tem um currículo considerável. Além de participar do movimento sindical da educação, foi vereador por 2 mandatos, candidato a vice-prefeito em 2008 e conquistou uma suplência na Aleac nas últimas eleições.

Atualmente como coordenador da Secretaria de Educação, Zequinha Lima, garante que a sua candidatura é para valer. “Quem me conhece sabe que jamais me prestaria ao papel de ficar guardando lugar para outros. Queremos entrar no debate sucessório”, afirmou.

Experiência de 2008
A intensa disputa eleitoral de 2008 em Cruzeiro deixou marcas para Zequinha. “A minha expe-riência vem de várias eleições. Fiz escola desde o movimento estudantil, o sindicalismo e as disputas políticas eletivas. Fiz 2 bons mandatos como vereador que me credenciaram para compor a chapa majoritária com o Zinho (PP). Em 2010 fui muito bem votado para deputado estadual e sou suplente. Todo esse processo político que vivi me permitiu acumular experiências”, destacou.

Candidatura na Capital
Com a candidatura da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB), em Rio Branco, Zequinha avalia a influência da decisão no Juruá. “Se levarem em consideração o mapa do Acre determinando as candidaturas é um quadro. Mas sabemos que uma eleição municipal é o momento dos partidos se apresentarem. Espero que a decisão que for tomada na Capital não influencie nas decisões nos outros municí-pios. Porque acontece de pessoas serem retiradas do processo para apoiar candidatos mais fracos. O processo de escolha tem que levar em consideração a peculiaridade da região”, finalizou.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation