Sérgio Guerra vem ao Acre para prestigiar posses de Bittar e Rocha

O presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), veio ao Acre prestigiar as posses dos deputados Márcio Bittar e Wherles Rocha para os diretórios regional e municipal, respectivamente. O evento, que contou com a participação de representantes do PMDB, DEM, PPS, PSL e PSD, aconteceu no auditório da Federação da Agricultura. Guerra também participou de uma reunião com pré-candidatos da legenda.

Acompanhado do secretário-geral do partido, o deputado elogiou a ‘resistência ao projeto em vigor’ e agradeceu a expressiva votação ao candidato a presidente nas últimas eleições, José Serra. “Aqui no Estado, no vizinho Porto Acre, em termos proporcionais, tivemos a maior votação do país, ou seja, 83% dos votos válidos”, disse ele, que considera os tucanos acreanos preparados para administrar a Capital e o Estado.

O novo presidente regional, deputado Márcio Bittar, lembrou-se das votações da oposição, considerando-as expressivas. “Tirando um acordo espúrio com candidato a prefeito de fachada, as oposições sempre tiveram votações que expressam a vontade da população de mudar”, frisa Bittar, elogiando o PMDB por ser a única legenda que sempre foi de oposição.

Pré-candidato a prefeito nas próximas eleições, Tião Bocalom elogiou os partidos aliados e defendeu a unidade das oposições. Em sua avaliação, a falta de estratégia determinou a não existência de um 2º turno, referindo-se ao lançamento de candidato único. “Se fossem 2 candidatos, a história poderia ser outra”, lamentou. Ele considera o projeto da Frente Popular ultrapassado, pernóstico e que não valoriza o ser humano. 

Trajetória – Sérgio Guerra nasceu em Recife e é economista. Veio de uma família de políticos: o pai, Pio Guerra, e um de seus irmãos, José Carlos Guerra, foram deputados federais. Formado pela Universiidade de Pernambuco, militou no movimento estudantil.

Filiado ao PMDB em 1981 foi eleito no ano seguinte deputado estadual. Reelegeu-se em 1986 já pelo PDT. Em 1989, filiou-se ao PSB e ocupou os cargos de secretário de Indústria, Comércio e Turismo e de Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Obteve pelas urnas o cargo de deputado federal em 1990, reelegendo-se em 1994 e 1998.

Em 1999, filiou-se ao PSDB, onde se mantém desde então. Guerra disputou em 2002 o cargo de senador pelo PSDB de Pernambuco sendo eleito com 26,9% dos válidos. Foi eleito por consenso presidente do PSDB em 2007. Em 2010, elegeu-se novamente deputado federal.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation