Sindicatos rurais se mobilizam para ‘descumprir’ o acordo do Fogo Zero

Os sindicatos rurais de Rio Branco, Brasiléia e Bujari estão se mobilizando para ‘descumprir’ o acordo Fogo Zero. Para os representantes das entidades, ao impedir o desmate em pequenas propriedades e não oferecer alternativas, o poder público estaria estimulando o êxodo rural e ‘patrocinando’ a fome no campo. “Estamos vivendo uma situação parecida com a década de 70, quando os trabalhadores foram obrigados a abandonar as suas propriedades”, denunciam os sindicalistas.

O vereador de Brasiléia, Raimundo Lacerda, quer a imediata revogação da ‘portaria’ baixada pelos ministérios públicos Estadual e Federal. A norma impede os agricultores de queimar as áreas para plantio. “O objetivo não é conseguir uma liberação desmedida para queimadas, mas sim sensibilizar os MPs para o fato de que algumas queimas são necessárias. Em especial, nas propriedades rurais que ficam às margens dos rios, onde a mecanização se torna quase impossível”, argumenta o parlamentar.

O Ministério Público Federal (MPF), segundo Lacerda, baixou uma ‘portaria’ permitindo que os produtores rurais de 17 municípios acreanos desmatassem até 1 hectare de mata em suas propriedades, mas, ao mesmo tempo, proíbe que eles queimem a área. A medida gerou polêmica. Os pequenos agricultores alegam que suas produções sairão prejudicadas, uma vez que a grande maioria não tem acesso a alternativas como a mecanização.

A Assessoria de Impressa do MPF disse que o órgão não emitiu portaria. O que estaria em vigor é a sentença judicial exarada pelo juiz federal, Davi Pardo. Deputados estaduais assumiram o compromisso de receber os representantes dos municípios afetados em uma audiência pública. O encontro estava marcado pra ontem, e, por motivos desconhecidos, não aconteceu.

“Ninguém aqui defende o desmatamento, mas sim a sobrevivência do homem que vive na floresta”, desabafou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia, Raimundo Moreira. “Viemos dizer que não tem como o agricultor cumprir esta sentença de erradicar o fogo”.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation