Protesto de garimpeiros deixa 3 mortos e 32 feridos na fronteira do Peru com o Acre

Um grande conflito entre a polícia de Puerto Maldonado e garimpeiros da região peruana de Madre de Dios, na fronteira do Peru com o Acre, resultou na morte de 3 pessoas, além de deixar pelo menos 32 feridos. Um dos manifestantes morreu ao ser alvejado com um tiro (não se sabe se intencional ou acidental), enquanto as outras 2 mortes aconteceram após os conflitos (eles foram socorridos, ficaram em estado grave e acabaram não resistindo).

 As mortes foram relatadas por um dos representantes da Defensoria do Povo de Madre de Dios, Guizo Loaiza. Sem prestar maiores detalhes, ele disse que um dos falecidos era ‘trabalhador do mercado’ e os outros dois eram do grupo de garimpeiros.

 O protesto aconteceu na quarta-feira (14), em áreas de floresta e em Puerto Maldonado, município que fica a 200 Km de Assis Brasil, no Acre. O ato foi puxado pelos grupos de garimpeiros, em resposta aos recentes decretos do presidente Ollanta Humala para coibir a prática ilegal de mineração informal na área (decretos que criminalizam a prática com penas de até 10 anos de prisão aos infratores). O governo peruano é contra a atividade porque, segundo especialistas, ela é altamente poluente às florestas da região, em especial se for exercida de forma ilegal, sem os devidos cuidados ambientais e políticas de compensação.

 O manifesto consistiu nos manifestantes tentando tomar as ruas de comunidades rurais e depois da cidade. Eles também tentaram montar um cerco em volta do aeroporto de Puerto Maldonado e tentaram tomar o principal mercado da cidade.

 Esta, de longe, não é a primeira vez que conflitos de garimpeiros ilegais termina em morte no país vizinho. Durante o governo do Alan García, mais de 100 pessoas morreram em confrontos como este de Madre de Deus. Com Humala, apenas 1 morte havia sido registrada.

 A mineração e projetos associados a fins energéticos são os dois maiores motivos para protestos no Peru. Muito porque a ‘garimpagem’ é uma das principais atividades da economia peruana, país que ostenta os títulos de maior produtor mundial de cobre e de zinco e sexto maior produtor de ouro. E uma das fortes frentes deste trabalho é a informal (uma realidade que o governo de lá vem tentando mudar há anos). Segundo estimativas, mais de 40 mil peruanos sobrevivem diretamente da mineração informal. (Com informação da Reuters Brasil e da Agência EFE)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation