Acre tem dados de abate de frango no IBGE “desindentificados”

 Os dados finais de 2011 do IBGE, relativos ao abate brasileiro de frangos em estabelecimentos sob inspeção federal, estadual ou municipal apontam que os oito primeiros estados da lista, todos do Centro-Sul brasileiro, responderam por mais de 92% do total inspecionado.

 No levantamento divulgado pelo IBGE, cinco unidades federativas (Acre, Amazonas, Distrito Federal, Rondônia e Tocantins) tiveram seus dados “desidentificados”. São UFS com dois ou menos estabelecimentos inspecionados e o procedimento objetiva evitar a identificação dos informantes. De toda forma, essas cinco UFS em conjunto aumentaram seu abate em cerca de 10% e responderam por 1,77% dos abates efetuados sob inspeção no Brasil.

 Em 2011, à exceção de dois estados (Minas Gerais e Sergipe) todos os demais apresentaram evolução positiva no abate. Mas o incremento mais significativo ocorreu entre estados da Região Nordeste, onde (a despeito da queda de 23% em Sergipe) a expansão média superou os 15%.

 Considerado o volume abatido, a maior expansão foi verificada em São Paulo (12% de expansão, quase 190 mil/t a mais), vindo a seguir Santa Catarina (+8,6%, adicional de 178 mil/t) e o Paraná (+5,2%, 141 mil/t a mais).

Quatro estados – Maranhão, Rio Grande do Norte, Roraima e Amapá – estão fora da lista, isto significando que seus abates de frango são realizados sem nenhum tipo de inspeção.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation