Cai oferta de empregos na indústria de transformação do norte em 2012

O mês de março registra queda de 0,64% na oferta de emprego na indústria de transformação no Norte do Brasil. Nos sete estados da região foram realizadas 10.920 constratações contra 12.786 demissões no período. As informações são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diesse).

O estado do Amazonas registra a maior queda, com perda de 806 postos de trabalho, seguido pelo Pará (redução de 772 postos) e Acre (queda de 179 postos). Por outro lado, o Tocantins é o único estado da Amazônia com saldo positivo de contratações no setor, com 98 admissões com carteira assinada.

Considerando os três primeiros meses do ano, o ranking de contratações e demissões no setor tem leve alteração. Amazonas (redução de 1.619 vagas), Pará (redução de 952 vagas) e Amapá (redução de 90 vagas) lideram o grupo com queda na oferta de empregos. Enquanto Tocantins (443) e Rondônia (102) registram saldo positivo na geração de vagas.

Apesar dos dados mais recentes, o relatório do DIEESE aponta crescimento do número de postos de trabalho neste tipo de atividade na região nos últimos 12 meses.  Com 158.510 admissões e 144.973 desligamentos, o crescimento registrado é de 4,89%, com 13.537 novas vagas criadas.

Indústria de transformação é setor importante para a economia nacional – A indústria de transformação reúne atividades que transformam uma dada matéria prima em um produto final ou intermediário. São exemplos deste tipo de indústrias a de vestuário, a metalúrgica, a automotiva e ainda a de produção e distribuição de energia, a extração mineral e a construção civil.

Segundo dados do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE), o baixo crescimento da indústria de transformação em 2011, foi uma das principais causas da desaceleração da economia brasileira no ano passado. (G1/PA)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation