Indefinições no interior podem atrapalhar planos da Frente Popular

InteriorA Frente Popular (FPA) terá mais um grande desafio nos próximos dias. Depois de conseguir que o PCdoB retirasse a pré-candidatura de Perpétua Almeida à Prefeitura de Rio Branco, os principais dirigentes da aliança tem agora a missão de conseguir unir os partidos no interior do Estado.

O Partido dos Trabalhadores  que antes tinha tranquilidade para apresentar nomes para disputar as prefeituras do interior, agora enfrenta a resistências dos outros partidos que compõem a aliança em vários municípios.

PV, PSDC e PDT, por exemplo, garantem que tem os melhores nomes para disputar as prefeituras de Cruzeiro do Sul, Brasiléia e Tarauacá. Dirigentes dos três partidos afirmam que não abrem mão da disputa.

O PV sonha em indicar o deputado Henrique Afonso para disputar com Vagner Sales a Prefeitura de Cruzeiro do Sul. Já o PSDC, com apoio dos deputados Edvaldo Souza e Éber Machado, oficializou a pré-candidatura de Messias Ribeiro em Brasiléia. E o PDT, dos deputados Luiz Tchê e Walter Prado, garante que Chico Batista é o melhor nome para disputa a prefeitura de Tarauacá.

Ele tem agora a missão de convencer o PT disso. Em praticamente todos os municípios o partido tem um nome para a disputa e não pretende, pelo menos nas cidades onde já ocupa o cargo, abrir mão para os outros partidos, seguindo o exemplo de Rio Branco.

Alguns dirigentes dos partidos considerados pequenos afirmam que a definição de nomes para disputar as prefeituras do interior ainda pode influenciar na aliança na Capital. Para eles, o momento é ideal para o surgimento de novas lideranças no interior.

Analistas políticos afirmam que a disputa pelas prefeituras do interior pode ser fundamental para a eleição de 2014. Por isso, um racha da Frente Popular em alguns municípios pode influenciar numa possível reeleição de Tião Viana.

Oposição terá candidatura única no interior
Já a oposição adotou uma estratégia diferente. Se na Capital a aliança tem pelo menos quatro pré-candidatos, no interior os dirigentes dos partidos bateram o martelo para que apenas um nome entre na disputa.

A meta da oposição é vencer na maioria dos municípios entre eles os maiores: Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Brasiléia, Tarauacá e Feijó. A definição do nome que vai para a disputa será feita após a realização de pesquisa.

Para os dirigentes dos partidos da oposição, eleger o maior número de prefeituras é fundamental para 2014. Maior defensor da unidade da oposição, o deputado federal Márcio Bittar (PSDB), já deixou claro que o ideal seria também uma candidatura única na Capital.

“Não podemos iniciar esse projeto pensando apenas em 2012. Temos que pensar também nas próximas eleições de 2014. Por isso, não podemos cometer os mesmos erros que cometemos nas outras eleições. Temos grandes chances de vencer em Rio Branco, mas precisamos optar pelo caminho certo”, disse.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation