Pular para o conteúdo

Rio Branco tem a frota mais nova do país

Frota táxi - OL*Um dos motivos para renovação da frota foi a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

 Há mais veículos com cheirinho de novo rodando por aí. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AC), no intervalo de um ano, a frota da capital acreana teve um aumento de quase 40 mil novos veículos. Esse crescimento pode ser explicado pela facilidade ao crédito e os incentivos econômicos, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

 A diretora do Detran/AC, Sawana Carvalho, destaca que uma das vantagens da frota nova é relativo a emissão de gases poluentes que saem do escapamento, que trazem poluição e malefícios à saúde da população.

 “Com carros mais novos circulando nas ruas, também diminui a incidência de problemas mecânicos que possam causar acidentes e, consequentemente, vidas de pessoas”, explica.

 E sobre os carros mais antigos, a diretora ressalta que, aqueles com mais de 20 anos de fabricação tem isenção no IPVA e podem circular normalmente pelas vias públicas, desde que em plenas condições de utilização.

 Atualmente a frota acreana é de 198.355 mil veículos, Rio Branco concentra 134.271 mil deles. Em 2013, foram emplacados 10.369 mil novos veículos, só no mês de julho foram 1.721. Em Rio Branco, de acordo com os dados, existem mais motos que carros.

 De acordo com a proprietária de uma garagem de revenda de carros, Conceição Mota, existem aqueles que querem comprar o primeiro carro e aqueles já experientes que querem um carro mais novo.

 “Atendemos a esses públicos, o negócio mais comum é recebemos carro a partir de 2002 como entrada e geralmente a pessoa leva um carro mais novo. Quem quer comprar o primeiro carro é comum comprar um carro mais antigo e depois trocar por um mais novo, não necessariamente do ano”, destaca Conceição.

Prorrogado IPI – O Governo Federal decidiu estender a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis e caminhões até o fim do ano. Assim, o rejuste previsto para ter início a partir de hoje fica congelado e as alíquotas seguem no patamar atual.

 O aumento da frota não é um fenômeno isolado da capital acreana e mesmo após a redução do IPI, este movimento tende a desacelerar, mas não drasticamente, confirma a diretora do Detran/AC, Sawana Carvalho.

 Alguns economistas apostam que o incentivo econômico do Governo Federal pode ser menor que se pressupõe. Além disso, a depreciação do carro 0 km é maior. Antes o carro perdia cerca de 10% do valor em um ano. Agora, com essa corrida pelo zero, essa desvalorização chega a 20% em um ano, afirmam especialistas.

Taxistas – O presidente do Sindicato dos Taxistas, Telnízio Bonfim, confirma que Rio Branco possui a mais nova frota de táxis no país e os outros municípios também estão renovando a frota.

 “Os carros que compõem a frota de táxi em Rio Branco tem no máximo três anos. A renovação e padronização dos táxis são realizadas desde 2004, durante o primeiro mandato do ex-prefeito Raimundo Angelim. Os próprios taxistas perceberam que trabalhar num carro novo é mais barato e atrai mais clientes”, destaca.

 Além disso, a manutenção dos veículos também se tornou um atrativo. “Atualmente é muito difícil ver um táxi numa oficina mecânica”

 Por ter o auxílio do plano de táxi, a cada dois ou três anos, o profissional troca de veículo. “Devido a essa prática, Rio Branco é a Capital com a frota mais nova de táxi do país há três anos. A parte ruim é que para iniciar esse processo o taxista teve que contrair dívidas, mas a maioria dos trabalhadores hoje tem os carros quitados”, destaca o presidente.

 Sobre a revenda do veículo, Telnízio Bonfim, ressalta que é boa, já que os veículos são novos. “Além disso, em Rio Branco antigamente, os taxistas tinha o costume de colocar peças paralelas nos veículos e isso dificultava a revenda. Hoje os profissionais adquirem peças nas concessionárias, peças originais. Oferecendo assim, segurança e confiabilidade no trânsito e aos passageiros”.

 Telnízio Bonfim afirma que é uma satisfação para o sindicato representar a frota mais nova do país e ter esse reconhecimento dos outros estados e principalmente das pessoas que visitam Rio Branco.

 O Sindicato tem em todo o Estado 1.500 permissões onde trabalham em torno de 3.500 pessoas. Maior parte deles está em Rio Branco com 611 permissões que trabalham 1.500 profissionais.

frota1

frota2