Pular para o conteúdo

Relatora do Estatuto do Estrangeiro, Perpétua Almeida realiza audiência pública

 A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB/AC), relatora do projeto de Lei nº 5655/09 conhecido como Estatuto do Estrangeiro, promoveu nesta semana, na Câmara dos Deputados, audiência pública para discutir a proposta. É no Estatuto do Estrangeiro que o Brasil definirá as regras para o ingresso, permanência e saída de estrangeiros do país, normas para que trabalhem, a política de extradição e expulsão do território nacional, assim como definirá ainda princípios para entrada de refugiados, que só em 2013 foram mais de 2.500 pedidos.

 O projeto tem grande importância para a soberania nacional, ao mesmo tempo em que trata também de atrair turistas e investidores para o Brasil. Um dos temas do projeto é o limite para a participação societária de estrangeiro em empresas brasileiras e a aquisição de terras em áreas de fronteiras e regiões da Amazônia brasileira. De acordo com o Ministério da Justiça, vivem hoje no Brasil aproximadamente 1,5 milhão de estrangeiros. A população imigrante no País representa 0,3% da população total, enquanto no Canadá é de 21%, nos EUA 13% e na França 10%.

 Na avaliação de Perpétua Almeida, “a nova legislação tem que estar em sintonia com esse novo Brasil que necessita se adequar à realidade migratória e às expectativas mundiais, garantindo uma política de imigração de tal forma que o desenvolvimento econômico, cultural e social do nosso país seja o norte desta política”, destacou a deputada.

 Segundo o presidente da Comissão de Anistia da Secretaria Nacional de Justiça do Departamento de Estrangeiros do Ministério da Justiça, Paulo Abrão Pires Júnior, “a lei atual foi aprovada no regime militar e não respeita o princípio da isonomia, presente na Constituição Federal de 1988”.

 Um dos convidados na audiência pública foi o acreano padre Raimundo de Araújo Lopes, que atua em Brasiléia, no Acre, no auxílio aos imigrantes haitianos que chegam ao estado. Segundo padre Raimundo, “muitos dos haitianos que entraram clandestinamente no Brasil, especialmente pelo Peru, com escolaridade superior, topam trabalhar em qualquer serviço”.

 Perpétua Almeida pretende estar com a proposta fechada até final de setembro para que a Câmara dos Deputados possa votar o projeto. A parlamentar acreana promoverá também audiência pública no estado de São Paulo, o maior centro de atração de investidores estrangeiros e populações de imigrantes, para discutir a proposta.

 Subtítulo: Perpétua Almeida promoverá audiência pública no estado de São Paulo, o maior centro de atração de investidores estrangeiros e populações de imigrantes
Legenda da foto: Mesa de debatedores da audiência pública – Da esquerda para direita: Padre Raimundo Lopes, Paulo Abrão Júnior, presidente da Comissão de Anistia, Deputados Perpétua Almeida e Nelson Pellegrino, Diretor para Assuntos Aeronáuticos, Edson Areias, Diretor do centro de estudos migratórios da missão paz, Padre Paolo Parise.