Pular para o conteúdo

Acre é o 2º estado que menos tem registros de falsificações de notas no Banco Central

Um levantamento divulgado na manhã de ontem, dia 16, sobre notas falsas identificadas pelo Banco Central do Brasil (BCB) revelou que o Acre é o 2º estado que menos teve falsificações ao longo deste ano. O estudo aponta que o banco só recolheu 139 notas falsificadas do Acre, em um período de tempo que vai de janeiro até o final do mês passado, agosto.

Com efeito, apenas o estado de Roraima teve menos registros de falsificações de cédulas do que o Acre, com 42 notas. Depois de Roraima e do Acre, outros 3 estados do Norte (que foi a região do país que menos teve falsificações registradas) aparecem no top 5 dos que menos tiveram notas falsas: Amapá (com 284 casos), Rondônia (701) e o Amazonas (1.069).

Por outro lado, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os 3 lugares com o maior número de cédulas retidas pelo BCB. Os paulistas tiveram 90.331 notas falsas recolhidas (650 vezes a mais do que no Acre). Rio de Janeiro veio em seguida, com 51.575 recolhimentos (371 vezes a mais do que no Acre). Na sequência, Minas Gerais computou 21.435 notas adulteradas. 

Em todo o país, o Banco Central recolheu 285.058 notas. A cédula de R$ 100,00 foi a que mais teve falsificações, com 81.215 registros de recolhimentos eitos pelo BCB da sua 1ª família (novo modelo da nota) e 63.023 registros da sua 2ª família (modelo antigo). A cédula de R$ 50,00 foi a segunda que mais teve adulterações, com 65.169 notas do velho modelo falsas retidas e 13.015 notas do novo modelo falsas retidas, totalizando 78.184 cédulas de cinquenta adulteradas.