Pular para o conteúdo

Sem calendário no futebol, jogadores veem futsal como opção no Acre

Zagalo vai para o futsal - Foto JPO Campeonato Acreano 2013 acabou. As Séries C e D do Campeonato Brasileiro desta temporada para os times do Acre também. Futebol profissional no Estado agora só em 2014. Distante do farto calendário do futebol brasileiro e sem opções para jogar nos gramados nesses últimos três meses do ano, os jogadores locais precisam se ‘virar’ para garantir a renda mensal. Uns retornam ao trabalho formal, mas outros seguem o caminho no esporte através do futsal.

É o caso do lateral-esquerdo Leandro Zagalo, 22 anos, que vestiu a camisa do Plácido de Castro no Estadual e na Série D. Após o fim da 4ª Divisão do futebol nacional, ele acertou com o Amazônia para a disputa do Campeonato Acreano de Futsal da 1ª Divisão. Segundo o jogador, a renda é ‘muito inferior’ nas quadras.

“Para quem vive de futebol temos que ir para o futsal. É a única opção. A renda é muito inferior. Dependendo do atleta não chega nem a um salário mínimo. Tem jogador que ganha R$ 400 no futsal e só”, contou Zagalo, que também trabalha como auxiliar de motorista do transporte escolar do município de Plácido de Castro para ganhar um extra.
Um dos destaques do Tigre na temporada 2013, o lateral tem propostas de clubes acreanos, mas revelou que o desejo é de continuar no time da fronteira no próximo ano.

Férias e futsal
Willian Radames, 21 anos, jogou pelo Baraúnas, do Rio Grande do Norte, no Campeonato Brasileiro da Série C. O jogador, que é meia-atacante nos gramados e ala nas quadras, nasceu em Tarauacá, município localizado no interior do Acre a cerca de 400km de Rio Branco, Capital do Estado. Com o fim do contrato no clube potiguar, ele passa férias na cidade natal e vê no futsal uma opção para não ficar ‘parado’.

“Acabou meu contrato no Baraúnas, voltei para casa para passar um mês de férias e aproveitei para brincar no futsal. É só para ajudar a cidade, não ficar parado. Tenho propostas em clubes de futebol e estou analisando ainda”, explicou Radames, que atua no Verona, que lidera a 1ª Divisão do futsal acreano.

‘Opção razoável financeiramente’
O GloboEsporte.com também conversou com o diretor de futsal do Atlético Acrea-no, André Ricardo. De acordo com ele, o clube tem no elenco, além de Ley, o atacante Rogério Tarauacá, que vestiu a camisa do Galo no Estadual da 1ª Divisão e do Vasco na Segundona do campo. Ricardo explicou que os atletas de futebol são boas opções para os clubes de futsal.

“Na realidade o pessoal do futebol é o mesmo do futsal. Termina o Estadual de campo e todos eles vão para as quadras. Para nós é melhor porque eles já têm uma certa experiência e é uma opção razoável financeiramente. Temos uma ajuda de custo dentro da nossa realidade, que é um salário mínimo para cada, isso é dado pelos nossos investidores”, completou. (João Paulo Maia / Globoesporte.com)