Pular para o conteúdo

Parque muda um cenário de ‘favela’ em Cruzeiro e quadriplica valor de imóveis

As obras no Parque do Remanso, em Cruzeiro do Sul, estão cada vez mais animando as comunidades dos 4 bairros por onde se estende o canal. O que antes era uma área pantanosa, cheia de lama, bueiros, entulhos e lixo, tomada por uma verdadeira favela, agora está se tornando um parque bem acessível, bonito e de incentivo ao lazer e ao esporte. Além do mais, o canal está resgatando uma área estratégica de Cruzeiro, perto do Centro e da entrada da cidade.

O parque tem quase 2 mil metros (ou km) de extensão, abrangendo mais de 60 km entre os bairros/vales do Remanso, do Telégrafo, do Cobal e de Várzea. Sua estrutura e arquitetura são parecidas com a do Parque da Maternidade de Rio Branco, com rede de água e esgoto, só que mais modernas. A construção está sendo avaliada em R$ 15,480 milhões na 1ª etapa e mais R$ 5 milhões na 2ª fase, dinheiro que gera emprego e renda para a economia de Cruzeiro do Sul.

O governador Tião Viana visitou o Parque do Remanso no final da semana passada e recebeu o carinho e a gratidão da população que mora perto do local. Um reconhecimento por uma obra que mudará a estrutura e o dia a dia de seus bairros. “A população em peso está agradecendo. E é por isso que estamos valorizando, cada vez mais, este pedaço do fundo do parque. Ele terá, entre outras coisas, pistas de ciclovias, quadras para a prática de esportes, áreas de caminhada, sinalização viária, praça de alimentação. Tudo bem organizado”, disse o governador.

E quem melhor para falar sobre o parque do que os moradores que vão fazer bom uso dele. A professora Evaneide da Silva Gonçalves e a dona de casa Ivaneide Souza da Silva são 2 delas. Elas contam que, antes da obra, o bairro estava mal cuidado. As casas eram tomadas por lama no inverno e poeira no ‘verão’. “Moro aqui há 18 anos e já sofri muito com as chuvas. Mas agora esperamos que isso mude. Esta será a primeira vez que fazem uma grande obra por aqui”, diz Ivaneide.

Evaneide completa ressaltando os benefícios do parque. “Está ficando muito bonito. Este parque, por tudo que ele terá, vai valorizar e muito os imóveis aqui da região. Será muito bom pra nós”, comenta Evaneide. Ela está certa. De acordo com Tião Viana, casas que antes custavam menos de R$ 10 mil no local ficaram supervalorizadas e agora já custam mais de R$ 40 mil.

Quem também destaca as melhorias do parque é José Rodrigues, dono de um barzinho caseiro no Remanso. Ele conta que, durante o período de chuvas, sempre alagava na sua rua. Neste ano, com o canal do parque já semifeito, conviver com a água e a lama virou coisa do passado. “A água sempre chegava dentro de casa e prejudicava minhas mercadorias. Era uma dor de cabeça. Agora isso acabou. E a gente espera mais coisas boas deste parque”, contou o comerciante.

A estimativa do Governo do Estado era finalizar o complexo até dezembro. No entanto, devido às dificuldades causadas pelo excesso de chuvas ao longo deste ‘verão’ , as obras devem se estender um pouco mais adiante, até os primeiros meses de 2014.