Pular para o conteúdo

Huerb, um dos maiores hospitais da Região Norte

Huerb oferece 18 leitos de UTI que atendem mais de 60 paciente ao mês Foto Assessoria SesacreUm dos maiores hospitais da Região Norte, o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), conhecido como Pronto-Socorro, atende não só a população do Acre, como também pacientes de outros Estados e até países, como Argentina, Bolívia e Peru. Fundado na década de 50, o Huerb desde então passa por muitas mudanças, tanto na estrutura quanto na oferta de especialidades clínicas.

Além de um ambiente humanizado e acolhedor, as pessoas que utilizam os serviços do Huerb contam com atendimentos especializados em emergências clínicas, traumáticas e ambulatoriais, salas e leitos de observações, internações e terapia intensiva. A unidade também oferece serviço de desintoxicação – para pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas -, unidade de dor torácica – onde são tratados pacientes com problemas cardíacos -, centro cirúrgico, laboratório para exames, vigilância epidemiológica, serviço social e emergência pediátrica.

Hoje, no hospital trabalham mais de 800 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e laboratoriais, fisioterapeutas, assistentes sociais e equipe de apoio, que juntos realizam ao mês mais de 9 mil atendimentos, 60 mil exames laboratoriais e de imagem, dentre raios-X, tomografia, ressonância magnética, endoscopia, ultrassonografia, 300 cirurgias de emergência e mais de 500 internações.

A gerente-geral do Huerb, Helyadia Prudêncio, diz que o hospital tem como principal finalidade o atendimento de urgência e emergência clínica, pediátrica e traumática. “Contamos com uma equipe de multiprofissionais capacitada para atender os pacientes de acordo com a gravidade do quadro de saúde apresentado pelo paciente”.

Helyadia ressalta ainda que, além de atendimentos emergenciais, o Huerb realiza consultas ambulatoriais. “Posso dizer que hoje o grande fluxo de pacientes é devido à falta de informação, ou seja, uma pessoa acometida por uma virose, ou mesmo aquelas que necessitam de consulta médica vem até aqui em busca de atendimento sem saber que pode ir a uma unidade de saúde mais próxima de sua casa. Mas quem está doente quer se curar, por isso, por determinação do governador Tião Viana, atendemos todos os que procuram o Huerb”, explicou.

Um governo comprometido com a saúde da população
O cirurgião-geral Iram Geraldo Paes, que trabalha há mais de 12 anos no Huerb, comenta que já presenciou um pouco de tudo na unidade hospitalar. Segundo o médico, o hospital é considerado “a mãe do povo”, pois todos os procedimentos de maior complexidade passam por lá.

“Recebemos pessoas baleadas, esfaqueadas e as que são vítimas de algum acidente grave, seja de trânsito ou doméstico. Às vezes não temos tempo de realizar um exame, o paciente é encaminhado direto para a sala de cirurgia, onde fazemos o procedimento indicado para salvar sua vida”, garantiu o cirurgião.

Iram lembra os tempos difíceis e escassos, quando no estado não havia unidades de saúde equipadas e tampouco mão de obra qualificada. Nessa época, para salvar uma vida, os profissionais dependiam de muito esforço e, principalmente, amor pela profissão.

Ele acrescenta que, com os investimentos que o Governo do Estado, em especial o governador Tião Viana, que como médico sabe como é fazer medicina em locais com poucos recursos, o primeiro hospital de Rio Branco passou por grandes avanços.

Para o coordenador de enfermagem, Rosicley Souza, um dos avanços mais positivos que o Huerb passou foi a ampliação do número de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que é primordial para preservar a vida do paciente em estado grave.

Rosicley diz ainda que o Huerb é um dos hospitais da Região Norte que menos apresenta óbitos em UTI. Cerca de 50% dos internados recebem alta com vida. “Propiciar a estrutura ideal, com equipe multiprofissional preparada para tirar essas pessoas de um estado grave de saúde, é a parte mais formidável e gratificante do nosso trabalho”, conclui. (Marcelo Torres / Assessoria Sesacre)