Pular para o conteúdo

Sesacre confirma investigação para apurar a denúncia de marmitas com larvas no HC

A secretária de Saúde, Suely Melo, confirmou que uma sindicância foi aberta para apurar a denúncia sobre as marmitas contendo larvas distribuídas no setor de nefrologia do Hospital das Clínicas de Rio Branco, na última sexta-feira, 15. Além da sindicância no hospital, o secretário de Polícia Civil, Emylson Farias, ressaltou que um inquérito policial também já foi instaurado.

O superintendente do Hospital das Clínicas, Carlos Eduardo Alves, ressalta que em 24 anos de existência o HC nunca teve este tipo de problema. “Surpreendeu-me que um
microorganismo, depois de um frango assado, ainda estava vivo. Falei que a gente ia averiguar o que havia acontecido. Seguimos todas as normas estabelecidas pela vigilância sanitária”, afirmou.

De acordo com a nutricionista do Serviço de Nutrição Dietética, Eliane Frare, como procedimento de segurança, as 50 marmitas que seriam servidas foram recolhidas e a alimentação foi substituída por um lanche.

“Quando nos comunicaram, começamos a manusear o frango em uma das marmitas e, de fato, não vimos nada. O alimento que foi visto com larvas estava no lixo. Não era o que estava na copa da nefrologia. Ainda assim, servimos mingau, café e bolacha por precaução”, conta.

Suely Melo acredita que o hospital foi vítima de sabotagem. “Acredito nas cozinheiras e na alimentação que é produzida dentro da unidade. Estou abrindo sindicância e tenho certeza que vai ficar comprovado que foi um ato criminoso. Isso foi armação e vamos conseguir provar isso. Se foi de um paciente ou de um servidor, não sei. Mas isso vai ficar provado e vamos tomar as providências cabíveis”, garantiu.

Quem denunciou – A denúncia foi feita pela presidenta da Associação dos Pacientes Renais Crônicos e Transplantados, Berenice Sales da Silva, e outros pacientes e acompanhantes. E, de acordo com informações, 50 marmitas servidas aos pacientes do setor de hemodiálise do Hospital das Clínicas estavam estragadas e apresentavam larvas no frango.

Suely afirma que as refeições são preparadas na unidade hospitalar e servidas em um curto espaço de tempo. “Isto foi armação e iremos provar. Os culpados têm de ser responsabilizados e responder criminalmente”, diz a secretária.

De acordo com o superintendente do HC, o ciclo do microorganismo é de pelo menos 12h. “Além disso, o alimento estava cozido e nenhum microorganismo sobrevive numa temperatura de 200°C. Descartamos qualquer problema na nossa cozinha. Os pacientes podem ficar tranquilos”, destaca Carlos Eduardo.

Luto pela dignidade dos pacientes, destaca Berenice
Para a presidenta da Associação dos Pacientes Renais, Crônicos e Transplantados do Acre, Berenice Sales, a situação é grave e deve ser investigada. Ela conta que foi acionada pelos pacientes da Nefrologia na noite da última sexta-feira, depois que foram encontradas as larvas.

“Faço hemodiálise há 10 anos e há 3 sou presidenta do sindicato. Não preciso prejudicar ninguém. Só luto pela dignidade dos pacientes. Essa é a 1ª vez que algo do gênero acontece”, afirma. Ela diz, ainda, que ao menos 2 pacientes, que tinham problemas de visão, ainda teriam chegado a comer as marmitas contaminadas.

MPE também vai apurar a denúncia
No início da tarde desta segunda-feira, 18, o Ministério Público Estadual (MPE) anunciou que vai apurar a denúncia do fornecimento de comida estragada aos pacientes do Hospital das Clínicas.

A Promotoria da Saúde instaurou notícia de fato para apurar o caso. A promotora Nicole Arnoldi, que está respondendo pela promotoria, afirmou que, se houver veracidade nos fatos noticiados, o caso pode ensejar em instauração de inquérito civil para apurar responsabilidades.