Pular para o conteúdo

Esse modelo de não termos lado tem que ser redobrando em 2014”, diz presidente do Comitê dos 11 Mil

moises 1 
O deputado Moisés Diniz (PC do B) reuniu a imprensa na manhã de ontem, 30, para apresentar os resultados obtidos pelo Comitê dos 11 Mil. O parlamentar também comentou a agenda para 2014. De acordo com ele, os resultados foram satisfatórios e serviu para unir a classe política do Acre.

“Esse modelo de não termos lado tem que ser redobrando em 2014, porque senão vai se esfacelar na disputa. Nós conseguimos unir a bancada federal acreana em um mesmo sentimento. A imprensa acreana, também, abraçou essa causa. Entendeu que era justa”, disse o deputado comunista.

 Para 2014 a agenda do Comitê segue com audiências com os ministros Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso. Esses ministros ainda precisam votar na modulação que deve ser aplicada a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 3609.

 O deputado Manoel Moraes (PSB) argumentou que os deputados acreanos devem se reunir com os parlamentares de São Paulo e Minas Gerais para tratar sobre o assunto. A ideia é mobilizar o maior número de parlamentares para que seja colocada em votação a PEC nº 54, que legaliza os servidores que ingressaram no serviço público sem concurso público, ou seja, antes da Constituição Federal de 1988.

 Já o petista Geraldo Pereira (PT) ressaltou que o caso do Acre é peculiar e se difere de outros estados, pois a maioria dos servidores são trabalhadores com mais de 25 anos de serviços.  “A nossa situação é diferente dos demais estados. É por isso que temos que fazer política pública para colaborar com todos”.