Pular para o conteúdo

Meu olhar sobre a obra de Sansão Pereira

A carreira artística do nosso ícone acriano das artes plásticas nos fascina pela diversidade de olhares que nos proporciona através das suas obras. A primeira vista, não nos parece familiar, pois retrata quase sempre o mar e a praia. Cenas que não fazem parte do cenário acreano. Mas, numa busca apaixonante pela sua terra natal – o Acre, ele mescla a sua alma acriana com a vivência na Europa e no Rio de Janeiro. Diga-se de passagem, obrigada terras e continentes maravilhosos por terem acolhido e ensinado a um acriano, das formas de comunicação, a mais bela, aquela que expressa o que está na alma – a pintura.

Sua jovialidade e genialidade, no auge dos seus 95 anos de idade, cheio de vontade de atravessar o centenário com pleno desejo de pintar, certamente fazem do Sansão Pereira um ativista da arte.

Aqui, neste breve relato, tentarei descrever como enxergo as obras deste tão consagrado artista. Com olhar de arquiteta e decoradora vou analisar e indicar como apreciarmos tais obras no nosso ambiente de trabalho e de moradia.

Eu vejo as obras do Sansão sendo transversais do sagrado ao profano. 

Um gênio! Enxergou Deus na imagem da galáxia e a pintou na cúpula da Catedral de Rio Branco, Catedral Nossa Senhora de Nazaré nos mostrando a amplitude do divino. Para a mesma catedral, pintou a Via Sacra. Enxergou na irmã Juliana, uma centenária dedicada às obras humanitárias, um exemplo de santidade. O Cristo na cruz nos lembra da condição humana que o filho de Deus se colocou, de sermos sempre humildes nas nossas atitudes e não arrogantes.

E o profano, neste caso, é o sensual. Um casal entrelaçado dançando tango e o nu da mulher revelam sensualidade, outra condição humana, para sabermos que somos sedutores e capazes de alcançarmos os nossos sonhos.

Mas não para por aí. A aristocracia e o poder nos remetem aos caminhos das grandes decisões, da organização da sociedade e das instituições.

Há ainda telas da natureza viva com flores e frutas tropicais, as ondas do mar e pássaros. Relatos do dia a dia das pessoas nas ruas, no mar, caminhando na areia da praia, crianças pulando na água, trabalhadores e pescadores… Somos assim! Viver é simples. Nós que complicamos para enxergarmos o sonho, que achamos que nunca terminamos de alcançar. 

Como ele é patriota!

Com leveza retrata a bandeira brasileira e acriana. Que bom, hoje podemos utilizar estas bandeiras para manifestar arte e mostrar o amor e respeito que temos à nossa pátria mãe.

Sansão é um brasileiro, melhor ainda é acriano, é gente nossa, é gente como a gente, ama o Acre.

Dicas para valorizar os ambientes com essas obras :

Em casa

Na sala de jantar ou de almoço – as telas com frutas

Na sala de estar ou varandas – as telas com flores, ondas, pássaros, o sacro, as expressões dos rostos, os pescadores com o mar, o cotidiano;

Na suíte da mulher ou do casal – as telas com nus, o tango;

No quarto da moça – as bailarinas e moças na praia;

No quarto do rapaz – os navios, crianças pulando na água, homem estudando;

No escritório – as figuras aristocratas e as bandeiras;

Na área de lazer – as telas com flores, ondas, pássaros, os pescadores com o mar, o cotidiano, os barcos.

No local de trabalho

Na recepção – as telas com flores, ondas, pássaros, o sacro, as expressões dos rostos, os pescadores com o mar, o cotidiano;

No escritório de advocacia- as figuras aristocratas e as bandeiras;

Nos escritórios das engenharias e arquitetura – as telas com flores, ondas, pássaros, o sacro, as expressões dos rostos, os pescadores com o mar, o cotidiano;

Nos consultórios – as telas com flores, ondas, pássaros, o sacro, as expressões dos rostos, os pescadores com o mar, o cotidiano. E, dependendo pode-se usar até os nus;

Nas instituições públicas e não governamentais – as telas com flores, ondas, pássaros, o sacro, as expressões dos rostos, os pescadores com o mar, o cotidiano, as figuras aristocratas e as bandeiras; Bem, tudo isso são dicas do meu olhar.

Mas, as melhores dicas são: compre aquilo que a sua alma pede. Invista em obras de arte verdadeiras e de artistas consagrados, quando possível. Invista em artistas locais. Seja um colecionador de obra de arte. E, para aqueles mais investidores financeiros, obra de arte de um artista consagrado como o Sansão Pereira é moeda.

E para quem quiser ter seu próprio olhar sobre as obras de Sansão Pereira, na Praça da Revolução, em Rio Branco, há uma exposição. As 95 telas ficam disponíveis para visitação e comercialização até domingo, 26 de janeiro.  Outras informações podem ser adquiridas com Antonio José Benevides, curador da exposição, pelo telefone (68) 9985 1347.

* Marlúcia Cândida
Arquiteta e Light Designer