Pular para o conteúdo

Empresa brasileira faz 1ª importação da China ao Acre, através do Peru

5A empresa Engeplan Importação e Exportação Ltda, estabelecida em Rio Branco, Acre, Brasil, concretiza nessa semana a primeira importação de produtos chineses ao Brasil, diretamente do porto Da Chan Bay, China, ao porto de Calao, Lima, Peru, e, em trânsito utilizando transporte multimodal pela Carretera Interoceânica, à Rio Branco, Acre.

Os produtos transportados pela via marítima à Lima compõem ao todo seis conteiners de 40″, suprimentos para a montagem de bicicletas elétricas da marca Nature Bike, cuja fábrica está estabelecida na Capital do Acre. Foram 40 dias de transporte marítimo à Lima e serão mais 1990 km de transporte terrestre até Rio Branco, logísticas operadas pelas empresas peruanas Sea Land e Terracargo SAC, respectivamente.

Para o representante da empresa Engeplan que se encontra em Lima para acompanhar todos os trâmites, advogado brasileiro Cassiano Marques de Oliveira, essa operação é inédita e histórica. “Há muitos anos que nossos países investem na promoção dessa rota, inclusive com a construção da Carretera Interoceânica. Para nossa empresa Engeplan é um orgulho e alegria concretizar essa inédita operação comercial, que diminui custos de logística e de tempo de trânsito das mercadorias. Ressaltamos a confiança nos parceiros privados e o apoio público que sempre tivemos do governo do Peru, por meio do seu consulado em Rio Branco, e dos governos do Brasil e Acre, respectivamente através do Ministério das Relações Exteriores, da Embaixada do Brasil em Lima e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis”, destacou o empresário que atua como consultor pela empresa EME Amazônia.

Para o sócio da Engeplan, empresário Márcio Rebouças que se encontra no Brasil acompanhando os trâmites de recepção da carga, essa operação é fruto de muitos anos de dedicação ao comércio exterior. “Fomos pioneiros no comércio com o Peru, utilizando a Carreterra Interoceânica, agora somos pioneiros na importação da China, utilizando transporte multimodal. Anteriormente importamos suprimentos para a nossa fábrica via Manaus, mas avaliamos ser mais competitivo esse novo caminho. Essa operação abre oportunidades para outras empresas brasileiras, em especial da região amazônica, para diminuírem seus custos e tornarem-se mais competitivas”, afirmou. (Assessoria / EME Amazônia)