Policiais civis realizaram mais uma paralisação de advertência em Rio Branco nesta quarta-feira (12)

 Pela terceira vez, os policiais civis paralisaram as atividades por 24 horas, nesta quarta-feira, 12. A categoria se reuniu em frente a Assembleia Legislativa do Acre e pedem que o governo retomem as negociações que, segundo o sindicato, estão paradas por falta de acordo. Uma greve por tempo indeterminado não está descartada.

 O presidente Sindicato dos Policiais Civis do Acre (Sinpol) Itamir Lima, afirma que as pautas são simples. “Nós queremos promoções imediata, o que é um direito, e o secretário hoje quer ‘barganhar’. Queremos reenquadramento dos servidores por tempo se serviço. O impacto em folha do que queremos é muito diminuto, e se o Estado não quisesse dar teria que ter dito para a categoria no ano passado”, ressalta Lima.

 Além disso, o presidente diz se não houver uma negociação, uma nova paralisação deverá ocorrer na próxima semana em frente à Delegacia Geral do Estado.
Já para o secretário de Estado da Polícia Civil, Emylson Farias, a palavra de ordem é trabalho e afirma que o governo tentou negociar com a categoria. “Foi proposto pelo governo o encaminhamento de, em torno, 70 a 80% do que eles pediram. Porém não houve consenso porque eles queriam 100%. E é importante ressaltar que a polícia está trabalhando, o que temos em mente é que a população não pode enfrentar nenhum prejuízo. Nossa preocupação é com a segurança e esperamos que as coisas se encaminhem para o melhor entendimento”, finaliza.

Negociações podem ser retomadas

 A retomada das negociações entre o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Acre (Sinpol/AC) e equipe do governo pode acontecer na próxima sexta-feira (14), foi o que informou o presidente do sindicato, Itamir Lima, durante a assembleia geral realizada na manhã desta quarta-feira (12). “Mas, antes de mais nada, quero deixar claro que quem fechou as portas para o dialogo foi o Governo”, disse Itamir Lima.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation