Pular para o conteúdo

Apenas 3 dos 24 deputados estaduais concorrem à Câmara Federal

 O deputado Moisés Diniz (PC do B) ainda não havia manifestado publicamente sua intenção em disputar uma das 8 vagas à Câmara Federal. Com a indicação da deputada federal Perpétua Almeida (PC do B/AC) ao Senado, Moisés Diniz deve ocupar a vaga deixada pela camarada.

 Essa semana o deputado postou em sua fan page uma fotografia bem antiga em que ele aparece empunhando uma oncinha de pelúcia. Segundo ele, o animal representa sua coragem e determinação em disputar mais um cargo eletivo.

“Agora, vou encarar uma luta muito árdua: disputar uma cadeira de deputado federal, entre oito existentes. Esta onça sempre foi o símbolo das minhas campanhas. Representa a luta por um mandato, sem utilizar esquemas fraudulentos, compra de votos etc”, ressaltou o parlamentar.

 O deputado comunista acrescentou que será uma luta árdua, pois junto com ele, disputam mais 19 nomes conhecidos na política do Estado, entre eles secretários, como é o caso do secretário de Estado de Fazenda, Mâncio Lima Cordeiro, e do assessor especial do Governo do Estado, Léo de Brito.

“Vou contar apenas com a minha família, o meu partido e os meus amigos. O que não é pouca coisa”, alfinetou o deputado.

 Pelo menos 3 dos 24 deputados estaduais devem concorrem a 1 das 8 vagas existentes. O deputado José Luís Tchê (PDT), a deputada Marileide Serafim (PSL) e, agora, Moisés Diniz (PC do B). Com a saída de Moisés, o PC do B ficará com apenas como nome de peso, o deputado Eduardo Farias (PC do B) que concorrerá à reeleição.

 Articuladores da Frente Popular esperam que 7 das 8 vagas possam ser ocupadas por integrantes da Coligação. A ideia é repetir a façanha realizada em eleições passadas.  Atualmente, a bancada federal, na Câmara é composta de apenas 3 deputados da FPA. Era 4, mas com a saída Henrique Afonso (PV/AC) esse número foi reduzido. A oposição conta com 5 parlamentares, entretanto, há uma divisão no bloco oposicionista.