Donos de panificadoras no Acre começam a sentir escassez do trigo por causa das cheias

A interrupção da BR-364, que liga o Acre aos outros estados do país, tem causado alguns prejuízos ao Estado. Depois da escassez de gasolina e de produtos, como os hortifrutigranjeiros, é a vez do trigo começar a preocupar os proprietários das panificadoras em Rio Branco. O estoque em alguns estabelecimentos deve durar cerca de uma semana.

Sem previsão para que uma nova remessa de trigo chegue ao seu estabelecimento, a proprietária Didi Dalamaria diz que seu estoque deve durar por uma semana, mas a falta da matéria-prima a preocupa. “Preocupa tanto a nós, como aos vizinhos. Em todas as panificadoras, o clima é de desespero”, conta.

Na panificadora onde trabalha como gerente, Miguel Lima diz que muitas pessoas não compreendem o momento de desabastecimento e chegam a criticar o espaço pala falta de alguns tipos de pães. “A semana inteira foi assim, prateleira vazia e o pessoal atrás das coisas. Alguns entendem, outros não. Eles ficam dizendo que aqui não tem nada, mas tem que entender a situação”, destaca.

Para quem procura o produto, a medida é inovar, procurar novas formas de suprir a necessidade. O militar da aeronáutica, Diego Ayres diz que a situação está igual em muitas panificadoras da Capital.

“Eu compro outro tipo, pois não encontro mais pão francês nem o manual. Fica complicado da gente comprar pão aqui. Já fui em várias padarias e algumas realmente não têm”. (Do G1/AC, com colaboração de Leandro Manhães, da TV Acre)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation