Caso Edna Ambrósio: Jeremias Cavalcante é absolvido da acusação de homicídio culposo

A Câmara Criminal decidiu nesta sexta-feira, 4, em favor do recurso em sentido estrito interposto pelo advogado Evestron Oliveira que defende o réu Jeremias de Souza Cavalcante, então namorado da vítima Edna Ambrósio, morta durante uma blitz da Polícia Militar do Acre, em 25 de fevereiro de 2010.

Após a sustentação oral, a Câmara, por maioria deu provimento o recurso para absorver o acusado da denúncia de homicídio culposo de Edna Ambrósio. O processo tramitará agora somente contra o policial militar Francisco Moreira que deve ser julgado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

Relembrando o caso:
Na noite do dia 25 de fevereiro de 2010, a Polícia Militar realizava uma blitz de trânsito na região conhecida como “Quatro bocas” no bairro Palheiral.

Durante a blitz o casal Jeremias de Souza Cavalcante e Edna Ambrósio que teria saído de casa para fazer um lanche passava pelo local da blitz, quando Jeremias que pilotava a moto não obedeceu à ordem de parada e seguiu em direção ao bairro João Eduardo.

Nesse momento o policial militar sargento Francisco Moreira usando de um fuzil efetuou um disparo na direção do casal.

O tiro atingiu as costas de Edna Ambrósio, transfixou o corpo da jovem e feriu as costas do namorado Jeremias Cavalcante.

Mesmo ferido Jeremias rodou cerca de dois mil metros quando caiu de frente a uma igreja no final da Rua Campo Grande.

O casal foi socorrido pelo Samu. Edna Ambrósio morreu ao dar entrada no setor de emergência do Pronto Socorro.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation