Pais reclamam que atraso na reforma prejudicou o ano letivo da escola Samuel Barreira

Cansados de esperar pelo fim da obra da escola Samuel Barreira, os pais dos alunos reivindicam o início do ano letivo 2014. Pelo cronograma da obra, a escola deveria estar pronta em março, mas até o presente momento, até mesmo sem cobertura o prédio se encontra.

De acordo com a dona de casa, Laís de Souza, os dois filhos estão sem estudar. “Isso com toda certeza vai atrapalhar o aprendizado deles”, comenta. Segundo a Secretaria Estadual de Educação as obras estão atrasadas em função do atraso do material causadas pela cheia do Rio Madeira. Mas, que em nenhum momento foram paralisadas.

Paralelo a esse problema, a SEE/AC procurou aluguel de prédios para dar início ao ano letivo, mas dependendo do lugar escolhido, os pais reclamavam por não poder arcar com o transporte dos alunos.
Nesse sentido o órgão, ofereceu um ônibus para levar e trazer os alunos. No bairro Cohab do Bosque não existem prédios com o perfil exigido para a aluguel e alguns deles não possuíam todos os documentos para emissão de um contrato.

Ainda nesta quarta-feira, 7, a SEE/AC em uma reunião com os pais do alunos propôs o início do ano letivo a escola Maria Chalub Leite. A decisão será dos pais. Na escola estão matriculados 400 alunos.
Também estão em reforma às escolas Humberto Soares e Berta Vieira e segundo a SEE/AC, todos os esforços estão concentrados para encontrar uma saída para o início do ano letivo desses alunos.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation