Homem é morto com tiro no rosto durante ‘bebedeira’ no Cidade Nova

‘Bodinho’ foi encontrado morto em um apartamento
‘Bodinho’ foi encontrado morto em um apartamento

Jaime Jacob Brito, 22 anos, o ‘Bodinho’, morreu na noite da última quinta-feira, dia 1º de maio. Ele morreu com um tiro no rosto dentro do apartamento de um quarteirão na Rua Guajará, bairro Cidade Nova.

Testemunhas disseram que o rapaz estaria na casa de um amigo, identificado pelo nome de Jefferson Feitosa, consumindo bebida alcoólica. Na companhia deles estava a irmã de Jefferson.

Durante a bebedeira, vizinhos ouviram um disparo de arma de fogo e depois viram pessoas correndo pedindo ajuda. Elas afirmavam que Jaime ‘Bodinho’ estava morto.

Uma equipe de suporte avançado do Samu foi acionada. Mas, ao chegar ao local, a vítima já estava morta. Jaime apresentava uma perfuração à bala no nariz, que supostamente teria lhe transfixado a cabeça e causado a morte instantânea.

A jovem irmã de Jefferson Feitosa, que seria testemunha ocular da morte de Jacob, apresentou duas versões para a polícia. Primeiro, ela teria afirmado que ‘Bodinho’ teria cometido suicídio. Depois, ela mudou a versão, afirmando que teria ocorrido um tiro acidental. Ela relatou que o rapaz estava manuseando a arma e a disparou sem querer. A bala atingiu o rosto da vítima, e o irmão dela, Jefferson Feitosa, ficou apavorado. Ele saiu do local correndo com sua namorada, tomando rumo desconhecido.

Policiais militares do 2º Batalhão que estiveram no local do crime não encontraram a arma. Perguntaram a Jessica onde estava à arma do suposto tiro acidental, mas a jovem não soube responder. Ela alegou que muitas pessoas entraram no apartamento e que a arma teria sumido.

A partir daí, a polícia passou a suspeitar que o crime teria sido de homicídio. Primeiro porque Jefferson, irmão da jovem, saiu correndo e desapareceu após o disparo que matou Jaime ‘Bodinho’. Segundo, se foi disparo acidental ou suicídio, a arma teria que ter sido encontrada ao lado do corpo, o que não aconteceu.

Para a polícia, Jefferson Feitosa é suspeito de ter cometido o crime e levado a arma usada. O motivo à polícia ainda não sabe. No entanto, segundo vizinhos, a casa de Jefferson e da sua irmã seria uma ‘boca-de-fumo’.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation