Secretaria de Saúde dá orientações sobre cuidados durante a enchente

Contato com a água da enchente pode causar febre tifoide, diarreia e outras doenças
Contato com a água da enchente pode causar febre tifoide, diarreia e outras doenças

Em virtude das chuvas e enchentes que permanecem ocorrendo nas últimas semanas no Estado, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), por meio da Vigilância em Saúde, alerta a população sobre os riscos e as medidas que devem ser tomadas durante o período. Para evitar doenças como leptospirose, hepatite, febre tifoide e diarreia, as pessoas que estão nos locais atingidos pela enchente devem redobrar seus cuidados em relação ao consumo de água, manuseio de alimentos e higiene em geral.

Para evitar riscos à saúde, a Sesacre orienta:

Cuidados com alimentos:
– Todo alimento que ficou submerso ou umedecido não deve ser consumido, mesmo que esteja em embalagem plástica ou enlatado.

– Caso tenha ocorrido falta de energia, os alimentos que ficarem na geladeira não devem ser consumidos se apresentarem alteração de cor, odor ou consistência. Por exemplo: carne crua muito amolecida.

Cuidados com a água:
– A ingestão de água contaminada acarreta risco de contração de hepatite A ou diarreias;

– Se a sua casa é abastecida pelo sistema público de água, entre em contato com a empresa responsável pela distribuição caso observe alguma alteração na água da torneira (como odor ou coloração diferente do habitual);

– Se a água provém de outras fontes e a casa tiver sido atingida pela enchente, tome os seguintes cuidados:

– Antes de utilizar a água, trate-a com hipoclorito de sódio. A receita é 2 gotas de hipoclorito de sódio para cada litro de água. Aguarde 30 minutos, depois da mistura, para beber a água;

– Caso não tenha hipoclorito de sódio, a fervura da água é uma alternativa segura e deve ser feita quando a água estiver turva;

– Qualquer dúvida, procure a Vigilância Sanitária da sua cidade.

Na hora da limpeza:
– É preciso evitar o contato com a lama que fica das enchentes, altamente infectante. Use sempre luvas e botas;

– É necessário limpar e desinfetar os reservatórios de água mesmo quando não atingidos pela enchente, já que a rede de fornecimento de água pode apresentar vazamentos e contaminá-los.

Cuidados com doenças:
O período de incubação da leptospirose, que é transmitida por roedores domésticos, vai de 1 a 30 dias após o contato com o agente infeccioso, e os sintomas variam desde febre alta, dor de cabeça e dores musculares, até quadros mais graves, podendo ocorrer icterícia (coloração amarelada na pele e nas mucosas), insuficiência renal, hemorragias e alterações neurológicas que podem levar à morte. Ao apresentar alguns desses sintomas, procure a unidade de saúde mais próxima.

Atenção aos animais peçonhentos:
– Na limpeza de entulhos e do lixo doméstico, é preciso tomar cuidado com animais peçonhentos – como aranhas, cobras e escorpiões – que, com a enchente, são desalojados de seu habitat;

– Ao voltar para casa, deve-se sacudir roupas, sapatos, roupas de cama e colchões antes de utilizá-los.

Instruções para limpeza e desinfecção de caixa d’água:
Cuidados com a desinfecção da água para consumo humano em situações de interrupção do abastecimento público.

– Na hora de desinfetar a caixa d’água, use botas e luvas sempre que possível. Não se esqueça de fechar o registro de água, bem como esvaziar a caixa d’água, abrindo as torneiras e dando descargas;

– Quando a caixa estiver quase vazia, feche a saída de água para que a sujeira não desça pelo cano e utilize a água que restou para a limpeza;

– Esfregue as paredes e o fundo da caixa utilizando panos, escova macia ou esponja. Nunca use sabão, detergente ou outros produtos;

– Retire a água suja que restou da limpeza com balde e panos, deixando a caixa totalmente limpa;

– Deixe entrar água na caixa até encher e acrescente 2 litros de hipoclorito de sódio a 2,5% para cada 1.000 litros de água. Use água sanitária somente na ausência total do hipoclorito, na mesma proporção do hipoclorito;

– Aguarde por duas horas a desinfecção do reservatório;

– Esvazie a caixa. A água servirá para limpeza e desinfecção das canalizações;

– Tampe sempre a caixa d’água, para que não entrem pequenos animais ou insetos;

– Anote a data da limpeza do lado de fora da caixa;

– Finalmente, abra o registro de entrada de água. Essa água já pode ser usada e liberada para consumo humano. (Agência Acre/ Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Assuntos desta notícia