Comida é comida

Simplesmente foi ridículo, uma vergonha, este protesto dos desabrigados que estão no Sesc/Bosque por causa de comida. Qual foi a melhor forma que encontraram para chamar a atenção? Jogando alimentos fora, espalhando-o no asfalto. Desperdiçando o que muitos necessitados dariam tudo para comer.

Os desabrigados alegaram que a comida era ruim e todo dia vinha à mesma coisa: ‘arroz duro, carne e galinha’. Tentaram até justificar dizendo que crianças estavam sofrendo com diarreia. Com o fim das reclamações, exigiram casas populares em locais mais distantes do rio. Disseram que teriam prometido que eles iriam para o aluguel social e depois ganhariam casas. Depois negaram.

Vamos lá! De fato, promessas não cumpridas deixam qualquer um revoltado, a triste situação pela qual eles vivem devido à alagação também é ruim e comer a mesma coisa todo dia não ajuda. Só que apelar para atitudes extremas, como estragar comida diante de Rio Branco inteira, não comove as pessoas. Pior é deixar centenas de alunos sem aula. Só tira a razão que eles têm.

Pergunte-se, leitor: quem é que vai querer ajudar pessoas, ser solidário, com quem pega a sua ajuda e joga fora? Quem passa por esta situação adversa precisa ter ciência que a vida não é fácil.

Talvez por ser a única opção que tinham, estas pessoas foram morar em áreas de risco. E, infelizmente, vão ter que lidar com as consequências disso. O governo e a prefeitura tentam ajudar. Fazem seu papel. E não adianta bater na mão de quem mais te ajuda.

Assuntos desta notícia