Gazetinhas 03/03/2015

* Todo o Acre estarrecido, comovido com a maior tragédia natural dos últimos 132 anos.

* Nunca antes na história desse Estado se viu uma alagação como essa…

* E, se as manchetes são impactantes, as imagens gritam por si.

* Da manhã para a tarde do último domingo, em questão de horas, o Rio Acre “cresceu” como uma grande onda marrom…

* Forte, imponente e avassaladora.

* Não fossem os efeitos destruidores, cruéis, ocasionados pelo volume das águas, seria um fenômeno até bonito de se ver.

* E, de fato, o novo cenário da cidade atraiu centenas de curiosos.

* À beira do rio, a população fazia questão de acompanhar de perto, registrar a paisagem e compartilhar nos grupos de conversa, nas redes sociais…

* Muitos com a boa intenção de pedir socorro, de fomentar ajuda.

* Outros, pelo prazer mórbido de cobrar e culpar as autoridades pelos problemas.

* Ô raça essa nossa…

* Como bem disse o bom prefeito Marcus Alexandre, a palavra de ordem é: solidariedade.

* O resto se torna pequeno diante de tantas perdas e prejuízos incalculáveis.

* Em coletiva na manhã de ontem, governador Tião Viana, embora firme, não disfarçou a imprevisibilidade e a desgraça do momento.

* “Não sabemos o que pode ocorrer nas próximas horas”, afirmou ele, em tom de extrema preocupação.

* Um ano após o fatídico isolamento pela cheia do Rio Madeira, quem diria que o Acre passaria por mais um grande drama social e econômico como este?!

* Nem tu, El Brujo! Nem tu!

* Apesar de que, vez por outra, nosso homem do tempo até previu mesmo que as águas do Rio Acre chegariam às escadarias do Palácio.

* Vá de retro!

* Melhor não mexer com a fera, não.

* Falando nisso, deputado federal Raimundo Angelim endureceu o discurso, na tribuna da Câmara, em Brasília.

* Direto e reto, cobrou do Governo Federal a celeridade na liberação dos recursos prometidos ao Acre para ajudar nas ações emergenciais.

* (Os poucos recursos, tendo em vista a gravidade da situação, diga-se de passagem).

* Angelim agradeceu à presidente Dilma pela vinda imediata do ministro Gilberto Occhi, mas não se fez de rogado:

* “Isso não basta”, disparou ele…

* Certamente, calejado pelas muitas alagações que enfrentou como prefeito de Rio Branco e pela burocracia e lentidão para a chegada do dinheiro.

* Leitor manda email comentando as peripécias do juiz do caso Eike Batista:

* “Se deputado tem direito a passagem pra mulher, o que tem demais o juiz ter vale-transporshe?”.

* O detalhe sórdido, diz ele, é que o tal juiz é acreano, de Cruzeiro do Sul.

* Enjoado desse jeito, só podia ser mesmo.

Assuntos desta notícia