Motoqueiro desconhecido mata um e deixa outro gravemente ferido

Motoqueiro parou na Rua Paraná e disparou tiros em vítimas
Motoqueiro parou na Rua Paraná e disparou tiros em vítimas

Um motoqueiro desconhecido parou na Rua Paraná, bairro São Francisco, região também famosa como ‘bairro do Buraco’, em Senador Guiomard. De repente, ele puxou uma arma e atirou em duas pessoas, matando uma delas e deixando a outra gravemente ferida. O crime aconteceu na noite de terça-feira, 27.

De acordo com informações, Júlio César Mesquita da Silva, 26 anos, e o amigo, Rafael Moraes, conversavam na rua de casa. Foi quando o estranho parou com a moto, caminhou alguns passos na direção da dupla e puxou um revólver. Ele atirou na cabeça de Rafael, que teve morte instantânea (o que caracteriza um forte indício de execução no crime). Enquanto isso, Júlio César começou a correr, mas foi perseguido e também alvejado com um tiro nas costas, que atravessou seu corpo e saiu no abdômen.

Após a execução, o atirador subiu na moto e saiu em velocidade média, como se nada tivesse acontecido.

A Polícia Militar e o Samu foram acionados. Mas, quando chegaram ao local, Rafael já estava morto. Gravemente ferido, Júlio Cesar foi socorrido e encaminhado para o Pronto Socorro em Rio Branco.

Zona vermelha e lei do silêncio
Segundo informações de fontes de dentro da polícia, o bairro do Buraco é considerado pela segurança pública como ‘zona vermelha’ ou ‘zona quente’. Em outras palavras, é um local extremamente perigoso, onde bandidos formaram uma espécie de ‘QG’ e ditam regras aos moradores.

Por exemplo, no último domingo, 22, na mesma rua (Paraná) e no mesmo bairro, um motoqueiro executou a tiros um homem identificado pelo nome de Isaias, que seria amigo de Júlio César (a vítima que sobreviveu no novo atentado desta sexta-feira).

Tudo leva a crer que seja o mesmo atirador que agiu no domingo e anteontem. Embora extra oficialmente, o tal desconhecido teria como objetivo matar Júlio César e o outro homem, identificado por Felipe. A vítima fatal de sexta, Rafael Moraes, supostamente estava no lugar errado na hora errada. Ele não seria o alvo do matador, mas Júlio César sim.

Bandidos criam lista da morte
Segundo informações de moradores do bairro do Buraco, a situação no local é tão terrível que até a polícia tem medo de transitar na região.

Corre um boato lá da existência de uma lista com o nome de sete pessoas que seriam mortas nos próximos dias. Nesta lista constam os nomes de Isaias (morto no domingo), Júlio César (alvejado a tiros na sexta-feira) e um tal de Felipe, além de mais quatro.

Isso reforça que Rafael Moraes morreu por engano, já que seu nome não ‘está na lista’.

Assuntos desta notícia