PSDB divulgam lista contendo nomes de políticos que correm risco de serem expulsos

 Dirigentes do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) divulgou na manhã de terça-feira, 17, uma lista contendo os nomes dos primeiros políticos que poderão ser expulsos da legenda. Os líderes são acusados de infidelidade partidária.

De acordo com o secretário-geral do PSDB, Pedro Correia, os prefeitos e vereadores que não seguiram as orientações do partido quanto ao apoio a candidatos nas eleições, serão desligados da sigla. Ele afirma que a decisão de punir os políticos é do futuro presidente do partido, o deputado federal Major Rocha.

Segundo Correia, a vereadora Matilde, de Feijó e o prefeito de Santa Rosa, Rivelino Mota, correm o risco de serem expulsos sumariamente do partido, uma vez que apoiaram abertamente candidaturas ligadas à Frente Popular do Acre.

“Nosso partido tem regras, tem um estatuto e tem que ser seguido. O Rivelino Mota durante a campanha pediu votos para o governador Tião Viana (PT), mesmo o partido tendo um candidato ao governo do Estado”, falou.

O dirigente ressalta que o PSDB não estará obrigando a nenhum filiado a continuar na sigla, porém, destaca que irão cobrar fidelidade partidária.

“Não vamos obrigar ninguém a ficar no PSDB. Só fica no ninho tucano, quem tem disposição para trabalhar pelo crescimento do partido e apoiar os nomes escolhidos para as disputas eleitorais. Iremos cobrar fidelidade partidária”, finaliza Correinha.

Na tarde de segunda-feira, 16, o futuro presidente do PSDB anunciou que a sigla estaria em conversa com o ex-deputado federal Henrique Afonso para que o mesmo passasse a compor a legenda. Rocha frisou que está confiante na adesão do ex-deputado.

“O convite foi feito e estamos em conversação. Ele me disse que não concorda com algumas coisas dentro do PSDB, mas que está aberto a conversas”, declarou.

Por fim, Correia afirmou que o partido irá se reunir apara decidir os rumos do partido e desses filiados.

 

Assuntos desta notícia