Imac apreende madeira retirada ilegalmente no Vale do Juruá

O gerente do Imac explicou que a madeira será doada a entidade filantrópica (Foto: Onofre Brito)
O gerente do Imac explicou que a madeira será doada a entidade filantrópica (Foto: Onofre Brito)

O Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac) fez duas apreensões de madeiras retiradas de forma ilegal nos últimos dias: um lote no ramal 7 da região de Santa Luzia e outro em Porto Walter. Segundo o gerente do escritório do Imac em Cruzeiro do Sul, Ygoor Neves, no ramal 7 foram apreendidos 5.2 metros cúbicos de amarelinho e de cumaru. Em Porto Walter o montante apreendido foi de 37 metros cúbicos das espécies aguano (mogno), cedro vermelho, abiorana e tauari.

O gerente explica que toda madeira apreendida, depois do processo legal pode ser doada a entidade filantrópica. A madeira apreendida no ramal 7 deverá ser doada para um centro de recuperação de dependentes químicos. O processo sobre a madeira apreendida em Porto Walter ainda está em andamento mas também deverá ser doada.

A legislação prevê multa de R$ 300,00 por metro cúbico de madeira comum derrubada ilegalmente; já para as espécies consideradas em extinção, como é o caso do aguano, a multa é de R$ 500,00 por metro cúbico. (Flaviano Shneider / Agência Acre)

Assuntos desta notícia