Prefeitura de Rio Branco intensifica ações de combate à dengue nos bairros da Capital

A prefeitura de Rio Branco, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), está intensificando as ações de combate à dengue. Nesta sexta-feira, foi realizado pela equipe de agentes de endemias um arrastão de combate à proliferação do mosquito transmissor da doença no Residencial Santa Cruz.

A ação contra o mosquito da dengue foi acompanhada pelo secretário Municipal de Saúde (Semsa), Oteniel Almeida e pela diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins.

Além do Residencial Santa Cruz, as equipes da Semsa também estão realizando visitas domiciliares para combater os focos de proliferação do mosquito nos residenciais Juruá, Andirá e Abunã. Na próxima semana, o arrastão acontece no Conjunto Edson Cadaxo.

As visitas domiciliares incluem, além de vistorias em caixas d’águas e outros locais como baldes, bacias e garrafas, onde o mosquito pode se proliferar, as equipes da SEMSA também trabalham a educação e saúde, conversando e conscientizando os moradores sobre a necessidade de combater os focos do mosquito.

Após o registro de epidemias entre 2009 e 2011, a prefeitura de Rio Branco vem fortalecendo ações para manter a situação epidemiológica sob controle, conseguindo reduzir a ocorrência de casos graves em 100% (de 4 para 0) o número de óbitos nos últimos quatro anos.

No ano de 2014, até a semana epidemiológica – SE 13 (29/03 a 04/04), foram notificados 1.605 casos suspeitos de Dengue representando um aumento de 2% em relação ao mesmo período de 2014 que registrou 1.573notificações. Nesse mesmo período a positividade dos casos de dengue caiu de 24% em 2014 para 15% em 2015.

Como parte das ações de Controle da Dengue a Secretaria Municipal de Saúde realizou no período de 6 a 10 de Abril, em todos os bairros e quarteirões do município, o 1º Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti– LIRA’a para identificar os bairros mais infestados e o tipo de depósito que apresenta maior percentual de larvas do vetor.

O resultado encontrado foi 3,61% de Índice de Infestação Predial, com 57,5% dos focos do mosquito localizados em caixas d’água no nível de solo e 26,6% em pequenos depósitos móveis (baldes, bacias, garrafas e outros), totalizando 84,1% dos depósitos dentro dos domicílios.

Os moradores tem sido um dos parceiros importantes no combate à dengue. Dona Eglandina Alves, que reside há mais de sete anos no Residencial Santa Cruz, destacou que a visita dos agentes é de fundamental importância, mas salientou que já faz a sua parte. “Aqui em casa eu já não deixo água parada em nenhum local”, disse.

Dona Neide Holanda, que também mora do Residencial Santa Cruz há cerca de quatro anos, frisou que esse tipo de ação, como o arrastão que estava acontecendo no bairro, é importante para combater os focos de proliferação do mosquito da dengue.

“Nessas ações, como os arrastões, trabalhamos combatendo os focos do mosquito, mas também com a educação e saúde, orientando os moradores, entrando nas casas e realizando o tratamento larvário”, explicou a diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins.

Arrastão da Dengue  (6) Arrastão da Dengue  (7)

Assuntos desta notícia