Pular para o conteúdo

Conselho de Economia Solidária é empossado pelo governo do Estado

Governador Tião Viana assinou o termo de posse do conselho, formado por 40 pessoas nesta segunda-feira. (Foto: Secom Acre)
Governador Tião Viana assinou o termo de posse do conselho, formado por 40 pessoas nesta segunda-feira. (Foto: Secom Acre)

O governador Tião Viana empossou na manhã desta segunda-feira, 6, o Conselho de Economia Solidária, em solenidade na Casa Civil. O conselho foi formado após as conferências municipais e regionais de economia solidária em 2014, empossando 40 conselheiros, sendo 20 titulares e 20 suplentes, que junto com a Secretaria de Pequenos Negócios (SEPN) vão debater políticas públicas para o desenvolvimento da categoria de pequenos negócios, que no Acre engloba quase 40 mil pessoas.

Segundo Tião Viana, o conselho é para ajudar a pensar justamente como beneficiar as pessoas que vivem da economia solidária. “Com os recursos conseguidos no Ministério do Trabalho e Emprego para a SEPN, nós mudamos a vida de milhares de pessoas, transferindo oportunidades. É a visão de reconhecer e construir uma força econômica. É chegar a um bairro, a um ramal e reconhecer que ali há um grande potencial. Estamos rompendo a ideia de que o Brasil é um país de doação, mas de emancipação”, ressalta o governador.



A presidente empossada do conselho, Regina Lino, explica: “A coisa mais importante nesse momento é garantir um espaço democrático para que possamos discutir todas as políticas de implantação da economia solidária. O conselho também tem o objetivo de construir os conselhos municipais e realizar um trabalho de interface com todos os setores. Vamos juntos criar um ambiente para escolher o caminho mais certo de desenvolvimento”.

Criada na primeira gestão do governador Tião Viana, a Secretaria de Pequenos Negócios investiu nos seus primeiros quatro anos R$ 16 milhões, envolvendo milhares de famílias beneficiadas por programas de assistência social com a oportunidade de um negócio próprio. “A economia solidária começou ainda com o presidente Lula. E a concretização desse conselho é um marco para o nosso Estado, porque é importante democratizar esse setor, já que falamos de dar oportunidade”, disse o secretário Henry Nogueira.

Reconhecimento e homenagem
O evento ainda contou com a presença do represente do Ministério do Trabalho e Emprego, Haroldo Pinheiro, coordenador nacional do Comércio Justo. Para ele, essa parceria mostra o lado republicano da política de economia solidária. “Nesse sentindo, a gente vê o crescimento amplo dessa economia no país, num diálogo com a sociedade civil organizada e políticas inovadoras, ajudando os pequenos negócios, mostrando o outro lado da economia brasileira”.

Aproveitando a ocasião, o vice-presidente do conselho, Aldemar Maciel, fez uma homenagem à primeira-dama do Estado, Marlúcia Cândida, por seu envolvimento nos pequenos negócios, principalmente na busca de uma “identidade acreana” para empreendimentos de arte, joias, restaurantes e moda. “Economia solidária é inovação. Se não inova, ela para no tempo e caminha de forma mais lenta. Nada melhor do que ter formação e atualização sempre, para inovar nesses mercados”, agradeceu Marlúcia. (Samuel Bryan / Agência Acre)

error: Conteúdo protegido!!!